10/31/2007

10/30/2007

EXERCÍCIO ESTÚPIDO N.º 1: NIPPLE SLIP

Abrir o YouTube (há um link ali de ladecos), e fazer uma busca por: nipple slip. Aparecem pelo menos uns 514 filmes cujo ponto alto de adrenalina é a visão fugaz e supostamente acidental de 0,5cm de pele de mamilo. Da Britney Spears, da Mariah Carey, da empregada lá de casa, de fulana, de cicrana...
Descobri isto hoje quando procurava qualquer coisa verdadeiramente idiota para pôr aqui (em desespero de causa por falta de inspiração), e é uma experiência tão excitante como ver um contabilista a fazer um balancete em tempo real, só que mais rápido.
Comprovem vocês mesmos, com este exemplar que eu considerei um dos mais enigmáticos dentro do género:

10/29/2007

PARA LÁ DO MARÃO...


Uma prova de que a polícia não se preocupa com o que verdadeiramente constitui crime e perde tempo com palermices sem interesse nenhum é a perseguição aos agricultores transmontanos apanhados a cultivar pés de cannabis. Um dos pobres homens disse e muito bem que só tinha aquilo no quintal para mostrar aos amigos que lá iam a casa e nem sabia bem o que era nem para que servia. Deram-lhe aquelas sementes e ele atirou com elas contra o muro à beira do galinheiro e deu aquilo, que até é uma plantinha tão verdinha e viçosa. Os ramos a secar, as folhas secas e a colecção de saquinhos para doses individuais que havia lá em casa eram para fazer pot-pourri para oferecer no Natal. De certezinha.

Olá amores, a patroa tem andado um bocado em baixo e eu, por solidariedade, hoje só escolhi notícias estúpidas para comentar. Como nas outras vezes. Mas hoje foi por solidariedade.

1. No Egipto, um gajo que mandou uma boca (tipo “comia-te toda” ou outra merda do género mas em árabe) a uma garina que andava a tratar do gado, foi condenado a pagar à família dela 46 camelos. Para ser mais precisa, 40 camelos mais 6 por comutação da pena adicional de lhe cortarem a língua. O facto de não ter havido pedido prévio de namoro foi considerado pelo tribunal uma agravante. Esta notícia suscita-me várias reflexões. Primeiro, a família da gaja deve curtir bué camelos e deve viver num apartamento com um grande terraço. Depois, esta notícia mostra bem as diferenças culturais entre os povos, porque cá são os próprios camelos que ainda têm pachorra para mandar bocas às mulheres na rua. Por último, também gostei de saber que, no Egipto, para um gajo poder passar de carro por um campo e dizer “comia-te toda!” à fulana que lá anda a tomar conta das vacas primeiro tem que lhe pedir namoro.


2. Mais um costume estranho duma cultura longínqua. No Chile, vai-se realizar o primeiro concurso nacional de orgasmos fingidos. Cada concorrente disporá de três minutos e a favorita, Shlomit Baytelman, já disse que a melhor técnica é dois gritinhos curtos e um longo. Juro que não percebo a lógica disto. Pensava que quem finge orgasmos é porque não dispõe de três minutos, tem que despachar aquilo, no máximo, em 50 segundos. Pelo menos cá é assim.


3. Na Inglaterra há mais um escândalo a atingir a família real: um dos seus membros foi filmado num hotel a fazer sexo oral e a snifar droga (julgo que uma coisa de cada vez, embora as duas ao mesmo tempo, isso sim, fosse digno de notícia). Só não se sabe quem foi, a família real tem cerca de 40 membros com a rainha no topo, e parece que já se fazem apostas com mais sucesso do que o euro-milhões. Eu, pessoalmente, que não conheço nenhum nem me dou com gente dessa laia, não arrisco um palpite.

E por hoje é tudo, queridos, fiquem com um resto de semana feliz e aguentem a patroa deprimida, que eu volto na próxima segunda.
Um beijo da vossa

Rosarinho

10/27/2007

DIA NÃO II

Ontem correu-me o dia mal. Tão mal como já não tinha memória de me correr mal um dia. Hoje estou a ressacar do dia mal corrido. E a pensar nos que ainda aí vêm.

Pronto. Basicamente isto foi só para me desculpar das possíveis fornadas de pão amargo que se avizinham.

10/25/2007

APÓS UMA DOSE DE PUBLICIDADE, DUAS QUESTÕES

1. Porque é que nos anúncios de perfumes as pessoas falam como se estivessem com medo de acordar alguém?


2. Será este ano que o Ambrósio pára de se fazer despercebido e se chega à frente?

10/23/2007

A MOSCA

Tinha uma figura atarracada de homem rural. Curtido pelo sol e com unhas muito negras de terra residente. As rugas do rosto eram sulcos preenchidos com uma substância escura.
Quando se aproximou, vi que tinha uma mosca pousada no polegar. Sentou-se, mexeu nuns papéis, gesticulou um pouco. A mosca continuou lá, impávida, com a postura de quem se sabe em terreno seguro. Despreocupada, a esfregar as mãozinhas de mosca a espaços compassados. Quando ele segurou a esferográfica sem vigor e desenhou contrariado algumas palavras imperceptíveis num formulário, ela manteve-se lá. Os dedos dele não tinham a elasticidade que é preciso ter para um objecto fino como a esferográfica e mantiveram-se arqueados, duros. Talvez por isso, a mosca não se sentiu um estorvo e continuou lá, como que a conferir a escrita do dono.
Fiquei fascinada com aquele quadro e não consegui parar de olhar para aquele polegar grosseiro com uma mosca domesticada em cima, até ambos se afastarem. Como irmãos inseparáveis.

10/22/2007

INSTANTÂNEO

O meu sobrinho, que tem sete anos, trouxe trabalhos para casa: Escrever palavras que contivessem as sílabas "ce" ou "ci".
Como não se lembrava de nenhuma pediu ajuda à mãe, que se lembrou de "cigarro". No entanto, como queria que fosse ele a chegar lá, deu-lhe apenas uma pista:
-Pensa numa coisa que os adultos fazem e não deviam.
-Hmmm... pois... mas "sexo" não começa por "c"!

10/21/2007

Olá queridos e queridas! Vamos então ver o que de importante aconteceu nesta semana e que, como de costume, foi nada. Mas eu consigo sempre arranjar qualquer coisa nem que seja aldrabice.

Coisa 1: Afinal já pode haver reabertura do processo para canonização dos pastorinhos. O Fátima ganhar ao Fêquêpê e logo a seguir ao Sporting só pode ter mão dum deles. Se a cúria não aceitar este argumento está visto, é mesmo má vontade. Parece-me é que a estratégia dos putos está mal direccionada. Com milagres destes, o santuário vai começar a perder clientela. As estatísticas dizem que em cada dez peregrinos, 9,9 consideram mais importante o clube deles ganhar a taça ou o campeonato do que o Tony Carreira gravar um disco novo ou a sogra curar-se do hemorroidal, e lá na sala de jantar, ao lado da santinha está sempre um bibelot da equipa a compor o ambiente decorativo. Para já ainda restam os crentes benfiquistas, para a próxima veremos.


Coisa 2: Depois do Alberto João Jardim, foi a vez do procurador-geral da república dar uma entrevista com um grãozito na asa. Deu-lhe para o telemóvel, podia-lhe ter dado para outra cena qualquer, mas deu-lhe para o telemóvel. Já se sabe que quando a gente está com um copito a mais começa a ver/ouvir coisas, mas depois com um café e um duche aquilo passa. O piiiiiiiiiiiiiiiiiiiii do telemóvel, que nos parece um complot alienígena para nos raptar e implantar um chip no cérebro, passa a ser apenas falta de bateria. Não era preciso tanta coisa, nem era preciso vir logo o presidente da república e tudo mandar bocas. Eh pá, uma pessoa já não pode ter má bebida?


Coisa 3: A Texto Editora e a Porto Editora foram alvo de buscas, na quarta-feira, à procura de facturas falsas. Claro que não encontraram nada nem vão encontrar. No meio daquela livralhada toda é impossível, pode estar dentro de qualquer um! Nem eles devem saber onde as meteram! Já eu uma vez deixei o bilhete de identidade dentro dum dicionário e aquilo foi uma dor de cabeça para o encontrar, andei meses!


Beijinhos para todos e uma boa semana é o que vos desejo!

Da vossa

Rosarinho

10/18/2007

MAIS COISAS SOLTAS

I

Neste país as pessoas distinguem-se apenas pelo clube que apoiam. É vê-los nos concursos televisivos a reagir como macacos excitados quando o concorrente é instado a revelar a equipa da sua preferência. Aí, somos vermelhos ou verdes ou azuis. Em tudo o resto somos cinzentos.

II

- Então e a senhora quer vender flores em que local?
- Onde estão os mortos!
- (???) E isso é onde?
- Ah! Isso. À porta do cemitério de ********.

III

Cavaco Silva quer que os fundos comunitários sejam usados para criar riqueza. E são! Então não são?

IV

Somos nós sozinhos que estamos a pagar a cimeira de Lisboa? É que aquilo tem pinta de casamento de aldeia caríssimo, daqueles com muita fartura para ninguém ir a dizer mal.

V

A Ordem dos Médicos não aceita alterar 3 artigos do seu código deontológico para o conformar à lei da IVG. Diz que nem o Salazar se atreveu a exigir uma coisa dessas. Está certo! Há uma coisa chamada “hierarquia normativa” e já se sabe que o Código Deontológico da Ordem dos Médicos está acima duma lei da república. Eles é que são os dótores!

VI

E finalmente, hoje, na loja de lingerie.
A empregada: E temos ali uma promoçãozinha da cueca de mesa!
Eu, mas só em pensamento: Fónix! Cueca de mesa???!!!

10/17/2007

ELES TINHAM QUE COMPLICAR TUDO

Embutidos não são embutidos, são chouriços. Presunto não é presunto, é presumível. Taller não é um garfo ou uma faca, é uma oficina. Oficina não é uma oficina, é um escritório. Escritorio não é escritório, é uma secretária. Embarazada não é embaraçada, é grávida. Braga não é uma cidade, é uma cueca. Mijas não é xixi, é uma cidade. Uma piña não é uma pinha, é um ananás. Um rato não é um rato, é uma bequinha. Acordar não é acordar, é lembrar. Rojo não é roxo, é vermelho. Uma carpa não é um peixe, é uma tenda. Um oso não é um osso, é um urso. Um polvo não é um polvo, é pó. Uma cena não é uma cena, é um jantar. Salsa não é salsa, é molho. Exquisita não é esquisita, é deliciosa. Um vaso não é um vaso, é um copo. Uma borracha não é uma borracha, é uma bêbeda. Pelo não é pelo, é cabelo. O sótano não é no sótão, é na cave. Cola não é cola, é uma fila. Borrar não é borrar, é apagar. Pero não é uma maçã, é mas. Lista não é uma lista, é pronta. Despacio não é no espaço, é devagarinho. Uma bufanda não é um conjunto de bufas, é um cachecol. Aceite não é aceite, é óleo. Um cuello não é um coelho, é um pescoço. Desarrollar não é tirar a rolha, é desenvolver. Desenvolver não é desenvolver, é desembrulhar. Crianza não é uma criança, é criação. Doce não é doce, é doze. Mermelada não é marmelada, é doce. Engrasado não é engraçado, é lubrificado. Funda não é funda, é uma fronha. Pelirrojo não é perigoso, é ruivo. Propina não é propina, é gorjeta. Anécdota não é uma piada, é uma história real. Um aparato não é um aparato, é um aparelho. Um bocadillo não é um bocadinho de nada, é uma sandocha. Um coche não é um coche, é um carro. Contestar não é contestar, é responder. Uma galleta não é um estalo, é uma bolacha. Neto não é neto, é líquido. Um paquete não é um barco, é um embrulho. Uma pila não é uma pila, é uma pilha. Uma seta não é uma seta, é um cogumelo. Uma tarea não é uma coça, é uma tarefa. Uma trampa não é uma trampa, é uma armadilha.

10/16/2007

UMAS COISAS SOLTAS

Uma dúvida: Se até agora eu só dei por a selecção ter ganho uma vez para o Euro 2008, como é que já tem 20 pontos?

Já vos aconteceu? Fazerem uma rua toda em sentido proibido por não terem dado conta que lá tinham posto um sinal novo e ainda chamar azelhas a todos os gajos que se cruzam convosco? A mim já.

Ontem: Uma senhora que trabalha como feirante disse-me que eu trabalho muito. Senti que há qualquer coisa errada comigo.

Hoje: Tenho muito sono e quero dormir no nível da inconsciência. Até amanhã.

10/15/2007

PÉROLAS

Um colega mandou-me esta pérola e eu senti qualquer mística a dizer-me que tinha que a partilhar convosco.



Não sou invejosa!


Olá queridíssimos clientes! Cá estamos nós outra vez no nosso encontro semanal que é o que salva este estabelecimento.
Hoje tenho vários assuntos para analisar. Vamos a isso:

1.Perto de Seoul foi construída a primeira casa retrete do mundo. Na verdade, esta merda não interessa nada a não ser ter custado uma pipa de massa. Apenas é giro poder chamar a qualquer coisa “esta merda” e não estar longe da verdade.
2.Isto na verdade foi só para vos introduzir o segundo tema que é mais batido que sei lá o quê mas continua actual: a construção desenfreada de estádios de futebol neste país. O Beira-Mar acabou de ser ultrapassado no ranking dos “Clubes que têm menos sócios do que jogadores, não andam na primeira liga e têm um estádio de luxo”. Pois é. O Desportivo de Fátima, ainda mal acabou de ganhar ao Porto para a taça e já tem um mega-estádio para 9000 pessoas quando na verdade só tem uns 9 sócios. Deviam ter mais caminha. A seguir vem o Sporting e depois é assim: Ao Porto, até o Beira já ganhou várias vezes e nem por isso deixou de ser despromovido. Grande coisa!












3.Ainda falando de Fátima, este ano tivemos direito a dose reforçada de beatice com o mais alto patrocínio da RTP, TVI e SIC. Foi lindo! Mas fizeram bem em aproveitar. Os gajos do Gato Fedorento não têm a mínima chance perante os crentes a fazer crítica de arte, nem o Zé Cabra perante os mesmos a cantar o Avé Maria como se não houvesse amanhã. E é preciso apostar no que tem sucesso garantido. Agora, bonito bonito!... não é o que vocês estão a pensar… é este vídeo que eu encontrei no YouTube.
4.Agora passamos a análise económica. Os senhores do BCP vieram demonstrar que aquele anúncio do “se você não tem pai rico nem ganhou a lotaria…” é totalmente realista. O filho do Jardim Gonçalves que o diga. E o pessoal que não é filho do Jardim Gonçalves mas tem que pagar os juros ao banco, nem que tenha que o tirar do cu com um gancho, para as dívidas do filho poderem ser perdoadas, que o digam também. Tudo está bem quando acaba bem.
5.Agora e por falar em campanhas publicitárias, acho que a última do BES não está feliz. Eles que me ponham o Cristiano Ronaldo deitado um colchão à disposição e eu lhes digo se ele rende ou não. Não ia ficar tão bem calçada como se fosse filha do Jardim Gonçalves com direito a espatifar empresas como espatifava os brinquedos em pequenino, claro, mas lá que ficava folgada, ficava.!...


6.E para terminar, apenas uma dúvida. Na semana passada faleceu um antigo jogador de futebol. Até aí não tem piada nenhuma, nem sabia quem era o senhor mas que Deus o tenha. Agora o que me intriga mesmo é a alcunha do homem: “Cabecinha de Ouro”. Fogo! Cabecinha de Ouro!!! Isso aplicado a um gajo, quer dizer o quê exactamente???!!!

Olhem queridos, hoje fico-me por aqui. Fiquem com uma grande grande beijoca da sempre vossa

Rosarinho
(Ah! E digam lá o que acham do desenho dos três pastorinhos, que eu fiz sozinha e sem lápis, apenas no domínio total do rato)

10/13/2007

TAMBÉM QUERO

Também vou ser artista. Começo por apostar nos temas clássicos. Se há temas que foram tratados, e continuam a ser, por quase todos os gajos que pegam no pincel, é porque aquilo dá. Então vou nessa. A primeira tentativa é a "Anunciação". Estão aqui quatro exemplos mais o meu, no final, que podem clicar para aumentar. É um óleo sobre tela.



Admitam: Qual é o melhor?



Sandro Boticelli




Leonardo da Vinci




Tanner



Paula Rego


Didas, a Própria

10/12/2007

PRESO POR TER CÃO, PRESO POR NÃO TER


Corto tudo rentinho em como, se no meio daquela peixeirada do sindicato tivesse havido merda, nem que fosse acidental, já a esta hora todos bradavam aos céus que a polícia devia ter tomado medidas para garantir a segurança da coisa. Como não, aqui del rei que andam a reprimir o povo, até parece que a bófia entrou por ali dentro e desatou a fazer o que eles mereciam que era partir-lhes uns cassetetes nos costados.

Tal como na história dos putos mimados que foram ao milho transgénico já com visões, depois de terem fumado a cena toda que tinham lá no acampamento. Agora, andam por aí alguns a dizer que a polícia devia ter tomado medidas preventivas. Vai lá vai! Se os gajos tinham lá aparecido a fazer uma ou duas perguntas aos meninos, ficava logo a malta toda histérica a gritar aos quatro ventos contra a opressão brutal do poder.

E o mais giro desta anedota toda é que dá origem a comunicados e satisfações à populaça!

Garanto-vos, eu não tenho nada a abonar ao Sócrates, pelo contrário, estou-me bem a cagar para ele e para o resto da malta, mas uma coisa temos que admitir: Assim é difícil!

10/10/2007

E AFINAL O QUE É A ARTE?


No Museu Thyssen, em Madrid, o texto do audio-guia para este quadro era qualquer coisa como:

Este quadro não é pintado, são fitas adesivas coladas numa tela... Mondrian manteve-se toda a vida fiel aos seus princípios, usando linhas verticais e horizontais e rejeitando as perpendiculares...


Fónix! Juro!!! Assim como quem diz "Che Guevara manteve-se toda a vida fiel aos seus princípios e foi executado em 9 de Outubro de 1967". Fónix! Um gajo que colava fita isoladora de cores repetidas em telas, atingiu o estatuto imortal de "fiel aos seus príncipios"! E eu, que só como croissants falsos de massa de pão de leite e nunca folhados? Também terei direito à posteridade? Está mal!

Fónix! Adoro museus! A sério!

10/09/2007

FADOS

Nunca consegui gostar de fado, caramba, é uma coisa que me dá arrepios. Tirando Carlos do Carmo, a guitarra de Carlos Paredes, José Afonso (mas há quem diga que isso de Coimbra não é fado, seja), e uma ou outra gravação feita por graça por quem não é fadista, nunca consegui aguentar pacificamente aquilo. As voltinhas na voz, o povo que lava no rio e talha caixões, chiça, nem psichés nem mesinhas de cabeceira, tinha que ser caixões, a mocidade que não volta, o soldadinho que não volta, o amor que volta mas tarde, a Severa que morre cedo e com esgares de faduncho, a traição,o sofrimento sem fim, pá... não dá. Sendo portuguesa sem alternativa, cheguei a sofrer de complexos de culpa (moderados) por não gostar de fado. Jurei que já não os tinha, mas fui ver o filme de Carlos Saura numa secreta intenção de fazer as pazes com o bicho. Pior. Não gostava de fados e não gostei do filme (apesar do meu preferido Carlos do Carmo). Pior ainda. O filme está cheio de coreografias patetas que me obrigaram a controlar vários ataques de riso numa sala com meia dúzia de pessoas. E pior pior pior ainda. Ao meu lado sentou-se Bernardo Sassetti, a comer pipocas e a beber coca-cola. Perdi definitivamente a minha pouca crença na música... e na estratificação social.

10/08/2007

OPINIÕES

Alguém me disse que o António Vitorino, com um vestido e uma cabeleira, ia ficar uma autêntica velhinha de desenho animado tipo Noddy ou O Carteiro.




Mas... não sei... continuo na dúvida...

Olá queridos! Estava cheiinha de saudades vossas, mas infelizmente hoje estou cheia de pressa. Só não quero deixar aqui de assinalar os momentos mais importantes das comemorações dos 97 anos de república:

Momento 1 - O Público - Como bem fez questão de referir a menina de serviço do canal público, estavam "várias dezenas" de pessoas a assistir às cerimónias. Com esta adesão, estimam-se mais 97 anos para o público ser, pelo menos, em número igual ao dos actores em palco.


Momento 2 - Mais público - Mas desta vez com opiniões. Ele, que se trata da implantação, que já se faz há muitos anos e ele gosta de ver e prontos. Ela, que o senhor presidente tem muita razão. Hoje em dia não há respeito nenhum e os pais é que têm a culpa porque os filhos dela, quando foram para a escola, tinham um professor "de cor" e mesmo assim guardavam-lhe respeito.


Momento 3 - O discurso - O senhor presidente foi um esperto. Em vez de andar com conversas de chacha sobre corrupção e tretas dessas que já se sabe que ninguém liga, seleccionou um target e atirou. Bingo! Com aquela conversa deixou as profes em absoluto delírio. A partir de agora a D. Maria que se cuide. As gajas estão doidas, vão dar em cima dele até ao tutano!
E por hoje é tudo queridos, fiquem com uma grande beijoca da vossa
Rosarinho

10/05/2007

O DIREITO AO CONTRADITÓRIO

O grande argumento contra a monarquia é o absurdo dos cargos hereditários. É um argumento fácil que resolve a questão e fecha a discussão em dois tempos. Todos os republicanos o usam. E fazem-no sempre com aquele ar inteligente de quem acabou de descobrir a pólvora. Hoje aproveito para resumir aqui os meus argumentos a favor do regime monárquico. Nada melhor do que este dia para isso.

1. É verdade que ser rei é um cargo que se adquire por via hereditária. Mas a questão é: Qual é o problema? Trata-se de um cargo que, nas monarquias constitucionais, é essencialmente de representação do estado. Para isso, não é preferível tratar-se de uma pessoa que foi educada desde o dia em que nasceu para executar essa missão? Será mesmo melhor que qualquer gajo com espírito mais ou menos arrivista e hábil na arte de bem se esgueirar na vida possa ser candidato numas eleições que acabam por ser uma campanha de marketing? Não é humilhante a representação de um país, ao mais alto nível, ir a leilão desta forma, de cinco em cinco anos? E desde quando é que na república não existem os cargos hereditários? Quem acreditar que os filhos dos políticos não beneficiam da posição dos pais para ingressar em altos cargos (de forma, aqui sim, pouco clara) ponha o dedo no ar!


2. A monarquia é um regime que se coaduna com a natureza humana. Desde tempos imemoriais, os grupos revêem-se na imagem de um chefe hereditário. A família real é um símbolo de união, coisa que nenhum presidente da república conseguirá alguma vez ser. Mesmo em plena república, quem não se lembra dos milhares de pessoas anónimas que estiveram no casamento de D. Duarte? O povo português é monárquico, só não sabe que é. Não o deixam saber.


3. O argumento do dinheiro também não serve. O estado português gasta, com a presidência da república, cerca do dobro que que por exemplo o estado espanhol gasta com a família real.


4. A república gosta sempre de retratar a monarquia como um regime autoritário e obsoleto. No entanto, esta fantástica república foi a última a legalizar a IVG, muito depois das monarquias europeias. A espanha, mesmo aqui ao lado, com os reis católicos, já regularizou mesmo a união legal entre homossexuais. Mas os atrasados são eles. Bem como noruegueses, suecos, holandeses e belgas por exemplo, todos os dias oprimidos por regimes monárquicos cruéis.


5. O D. Duarte é um cromo. Convém que se pense que é assim. Convém à república que as pessoas vejam o herdeiro da coroa como uma personagem de desenho animado sem credibilidade. Eu só queria que pelo menos metade da classe política, quando abre a boca, acertasse pelo menos metade do que ele acerta.


6. Portugal não vai voltar a ser uma monarquia, pelo menos tão cedo. Isto sim, é verdade. Portugal está demasiado atrasado para poder ser uma monarquia constitucional e mesmo os monárquicos da praça, pelo menos grande parte deles, não passam de reaças marialvas com os quais eu não me identifico e até passar por eles na rua me incomodaria. Conheço poucos que não o sejam. Ainda falta muito.

BOM FIM-DE-SEMANA!



E lembrem-se! Há sempre alguém com mais azar!

10/03/2007

PRECISA-SE RESPOSTA A ESTE EXERCÍCIO

Uma caixa com a massa de 50 kg é deslocada por acção de uma força de intensidade de 300N, que faz um ângulo de 30 º com a horizontal. A intensidade da força de atrito é 140N.
a) Representa todas as forças que actuam na caixa.
b) Calcula o valor algébrico da aceleração da caixa.

É para mostrar à minha filha que percebo mais de física do que ela, mas não contem nada.

10/01/2007

SURGIU UM NOVO VÍRUS INFORMÁTICO

Chama-se "cheep" e, para já, só ataca no Pingo Doce.


Olá queridos clientes, há q'anos que a gente não se falava. Já andava cheia de saudades vossas!

Hoje não vou falar da vitória do Meneses no PSD contra os sulistas elitistas porque não estou ao corrente do que se passa, deve ter sido algum filme de ficção científica que andou aí e que me escapou.

Também não vou falar do coitus interruptus do Santana Lopes na SIC porque se me dessem a escolher entre ele e o Mourinho eu preferia um talo de couve.

Hoje vou falar de um assunto sério mas infelizmente quase ignorado pela comunicação social. Não fosse eu uma rapariga atenta e até a mim teria escapado. Trata-se da reestruturação do código da praxe na Universidade de Coimbra.

João Luís Jesus, Dux Veteranorum da Universidade de Coimbra (para quem não conhece o título esclareço que se trata dum gajo que, além de chumbar anos a fio não faz um c*ralho para ajudar os pais a pagar o curso que eles pensam que ele anda a fazer mas que é dos mais difíceis e demora muitos anos, coitadinho) explicou em entrevista que o processo de Bolonha obrigou a uma redefinição dos termos usados pela cambada. Assim, a nova hierarquia abarca os títulos de caloiro, semi-puto, candeeiro e bacharel, no primeiro ciclo, e bolognez, marquez e veterano no segundo ciclo. Podemos assim ficar todos muito mais descansados porque estão a ser tomadas as devidas providências. Mas importante importante é mesmo a decisão de proibir o colete no traje feminino. A medida foi polémica, provocou grande celeuma e reacções imediatas, defendendo uns que o traje vai tornar-se igual ao do Porto (gravíssimo!) e outros que as estudantes vão passar a parecer empregadas de mesa. E eu falo por mim, esta m*rda é uma ofensa para as empregadas de mesa! Mas João Luís Jesus já contava com “tanta celeuma” e sublinha que “o conselho ouviu a opinião de várias pessoas antes de tomar a decisão”. “As alterações vão ter uma fase transitória de pelos menos dois anos, porque há coisas que são impossíveis de exigir imediatamente. E nesse período, a fiscalização não vai ser tão rígida, mas sim mais informativa”.

É bom sabermos que a futura classe intelectual deste país se preocpa com o que realmente importa, caramba! Vou dormir muito mais descansada hoje.


E vocês também, espero. Fiquem com uma grande beijoca da vossa


Rosarinho