3/24/2006

A TÉCNICA DA NHANHA E OUTROS SEGREDOS ANCESTRAIS


Estava eu de manhã numa pastelaria da concorrência a tomar o meu cafezito quando comecei a cuscar a conversa de quatro senhoras na mesa ao lado.
O tema da conversa era culinária e pude observar que uma das intervenientes desvendava às restantes os segredos da confecção de determinada receita. A certa altura ouvi-a dizer:
- Mistura-se os ovos batidos em nhanha. Mas têm que ser batidos em nhanha!
E qual não foi o meu espanto ao constatar que as outras, ao invés de mostrarem surpresa, acenaram afirmativamente com a cabeça como se nada fosse. Mais ainda, como se estivessem a declarar – “Bater ovos em nhanha? Claro que sei bater ovos em nhanha! Até de olhos fechados e a fazer o pino consigo bater ovos em nhanha! Antes de nascer já dominava de cor e salteado as técnicas e as teorias avançadas dos ovos batidos em nhanha!” – e além disso, o ar sério com que falavam naquilo assemelhava-se ao ambiente duma conferência sobre as remissões proustianas às questões da poesia.
É nestas alturas que me sinto excluída do universo feminino!...

6 comentários:

SaltaPocinhas disse...

bota outra excluida nisso! Mas sei o que são claras em castelo! uau!!

Nina disse...

Que mania de elitismos! Há aquelas pessoas que são totalmente perfeitas: que tédio!
Por mim, às vezes 'nhanhas', outras 'castelares', outras de 'glace' (extremamente branca e sólida) - pois, vida, meus caros! Cuidem-se, ouviram, cuidem-se!

polittikus disse...

Domésticas... de bata vestida e com o cheiro a desinfectante????

joaninha disse...

Também nunca ouvi tal coisa...

candida disse...

nunca tinha ouvido esse termo. isso existe?

Didas disse...

Num faço a mínima!