9/30/2006

DISCRIMINAÇÃO POSITIVA OU UMA MANEIRA SIMPÁTICA DE NOS CHAMAREM TRENGAS


Ando a fazer um curso de formação em horário pós-laboral. Até aqui nada de especial, era um tema que já há um tempo me apetecia aprofundar, apareceu, inscrevi-me.
A particularidade é ser um curso onde só foram admitidas mulheres. Era inclusive um dos requisitos para inscrição: Ter nascido fêmea.
Não consigo compreender estas coisas. Se acontecesse o contrário (um curso só aberto à participação masculina) caía o Carmo e a Trindade!
Se a TSF resolvesse criar um forum para a participação de homens, caía o Carmo e a Trindade!
E há mais exemplos mas eu não me lembro agora.
Parece-me que isto é, basicamente, anti-constitucional, porque não é suposto haver discriminação em função do sexo. Depois respondem-me que é discriminação positiva.
A discriminação positiva é, então, um conceito inventado para poder contornar o princípio da igualdade de direitos consagrado (e sagrado) nas sociedades ocidentais democráticas.
Não está certo pois não?
Ou é só a mim que está a escapar qualquer coisa?

2 comentários:

SaltaPocinhas disse...

É por isso que eu abomino feminismos e essas coisas!
Se fosse qualquer coisa só para homens, já tinham aparecido umas histéricas a gritar na TV.
Sou contar a discriminação. A "positiva" se calhar é pior que a outra!
E não podes contar à gente o que andas a aprender?
Culinária? Ponto cruz? "como educar homens em 20 lições"??

Didas disse...

Gestão de PMEs.