3/30/2007

A ALMA É O SEGREDO DO NEGÓCIO

Acho que descobri um novo nicho de mercado: Escrever letras para canções de música pimba. Para já escrevi estas duas, que vou enviar ao Emanuel a ver se ele me catapulta para a ribalta, não sou menos que a Sabrina. Aliás, acho que sou tal e qual. Tal como ela, não sei cantar. Tal como ela, se pintar o cabelo de loiro fico loira. E tal como ela, se vestir um vestidinho da Fabio Lucci, fico em estilo Fabio Lucci. Até tenho uma vantagem que é esta inspiração toda que vos mostro.
Acham que tenho futuro? Aceita-se sugestões para melhoramento (se tal for possível) dos poemas.

DEPOIS FUI PARA A FRANÇA


Quando eu era pequenino
Queria ser carpinteiro
Andar sempre c’o pau na mão
Sem nunca descansar
O dia inteiro

Refrão
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França

Quando eu era pequenino
Queria ser agente da PSP
Andar sempre sempre
A lixar o pessoal
Sem saber porquê

Refrão
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França

Quando eu era pequenino
Queria ser chapeiro
Dar c’o martelo na chapa
E usar Old Spice
P’ra não ficar com cheiro

Refrão
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França

Quando eu era pequenino
Queria ser mecânico
Pôr a mão nos motores
Pôr a mão nos fios
E não entrar em pânico

Refrão
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França
Depois fui p’rà França


DEPOIS VAMOS PARA A FRANÇA

Oh meu amor tu e eu somos dois
Oh meu amor fazemos já aqui
Não deixamos p’ra depois

Refrão
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França

Oh meu amor oh minha paixão
Se tu não aceitares o meu convite
Lá terei que fazer com a mão

Refrão
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França

Oh meu amor quando eu te vi
Fui logo contar à malta que
Tu quiseste e eu te comi

Refrão
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França
Depois vamos para a França

7 comentários:

Anónimo disse...

Não a quero desanimar, mas digamos, o seu pão é mais saboroso do que estes poemas. Não é fácil ser pimba: requer uma incoerência, uma boçalidade, um "je ne sais quoi", que ainda não atingiu.
cm

Didas disse...

Shit! :( Mas eu esforcei-me tanto! :(

Sininho disse...

Eu adorei as letras mas tb vou propor a primeira estrofe para o estilo quim barreiros: a bufa é a brisa que desliza pela fralda da camisa, tira da boca e mete no cú. Desculpem esta pequena buçalidade saiu, pk adorei o que está escrito no post. Bom fim de semana

Didas disse...

Sininho, vamos fazer sociedade! Tu ficas com a parte ordinária, lol!

SaltaPocinhas disse...

Está perfeito, não tenho alterações a propor... nem há erros ortográficos para emendares 5 vezes :(
Mas proponho-te uma tarefa: traduz uma letras das músicas dos top que toda a gente ouve ou diz que ouve...
Os mesmos que são capazes de dizer com um ar muito intelectual: "quem é esse Emanuel?"

Didas disse...

Boa ideia Saltapocinhas.

Sininho, bons temas para desenvolver em próximos poemas, obrigada.

Anónimo disse...

I seldom leave comments on blog, but I have been to this post which was recommended by my friend, lots of valuable details, thanks again.