4/08/2007


Olá queridos clientes! Que tal estes diazinhos improdutivos de sorna à conta da igreja, hein? Foram ao menos à missinha da manhã mortificar o corpo? O caraças é que foram, pois pois… aproveitar aproveitam, mas depois enchem o peito a dizer mal da padralhada. É como eu, estejam à vontade.
E hoje, nem de propósito, vou precisamente dirigir o meu post… a Deus. Na boa. Se ele está em todo o lado, quer dizer que também anda na net, senão não conseguia. Não sei é se falará português, até porque já me constou que isto que a gente fala é a língua do diabo. Isso dizem pelo menos os estrangeiros que tentam aprendê-la e dão com aquela catrefada toda de tempos e formas verbais. Mas vou tentar na mesma. É então o seguinte:

Meu Deus, acabei de ver há bocado na televisão que a sua mãezinha voltou a aparecer, desta feita no Escorial em Espanha. Segundo as notícias, claro, voltou a dizer as coisas do costume, aquelas que já disse nas outras aparições todas. Até aí nada contra. Tirando aqueles delírios de converter a Rússia com aquela máfia toda que a gente sabe e que ainda piorou depois do milagre da perestroika, faz sentido andar por aí a pedir à malta que se comporte, que pare de fazer guerras e cenas dessas, que de facto são uma má onda do caraças. Também já nem falo do look, senhor Deus, se bem que aqueles mantos e túnicas já não estão com nada. Não sei de quem é a culpa, mas é indecente a senhora não ter um trapinho de jeito. Deixo aqui também esse reparo, o senhor fará como entender.
Queria ainda (se não achar muito abuso) deixar uma palavrinha sobre aquela mania de se empoleirar nas árvores. Além de ser perigoso, não sei se com aqueles atavios a senhora usa roupa interior, o que pode resultar um bocado constrangedor dependendo do ângulo de visão do pessoal cá em baixo.
Agora, o que eu acho mesmo, mesmo mal, o senhor Deus vai-me desculpar, é a selecção de candidatos a visionários que aí fazem no céu. Não sei quem é o responsável por essa parte mas se for a sua mãezinha ela própria, faça-lhe chegar por favor esta minha opinião. Eu passo a explicar:
No Escorial, a senhora apareceu a “Luz Amparo Cuevas, persona sencilla y humilde, casada y madre de 7 hijos”, ou seja, uma pobre diabo ignorante que nem a pílula sabe tomar nos dias certos.
Em Fátima, apareceu a três putos que não frequentaram a escola, e trabalhavam como pastores. Mais uns analfabetos.
Continuemos. Em Guadalupe, o seleccionado foi um pobre índio da tribo Nahua, Juan Diego Cuauhtlatoatzin, que esse, então, ao contrário da Dona Cuevas, nem espanhol devia saber.
Em Caravaggio, acontece a aparição de Nossa Senhora a uma camponesa. A história conta que a mulher, de 32 anos, era tida como piedosa e sofredora. A causa era o marido, Francisco Varoli, um ex-soldado conhecido pelo mau caráter e por bater na esposa. Maltratada e humilhada, Joaneta Varoli colhia pasto. Por amor de Deus! (passe a expressão, quer dizer, por amor de si próprio), a mulher levava porrada e colhia pasto?! Piedosa e sofredora?! Deviam mandá-la para um centro de apoio à vítima, não era pôr-lhe a sua mãe a debitar-lhe baboseiras, então?
Terminemos com Lourdes. Bernardette era filha de um pobre moleiro chamado Francisco Soubirous e de Luísa Castèrot. Sua mãe deu à luz a nove filhos dos quais Bernadete era a primeira, apenas cinco deles sobreviveram. Na sua infância trabalhou como pastora e criada doméstica. O pai esteve preso sob a acusação de furto de farinha e foi absolvido. Xi! Piorou!

Que fique bem claro, senhor Deus, que eu não tenho nada contra as pessoas analfabetas, tomaria eu que não houvesse nenhuma e este estabelecimento teria ainda mais clientes. Ensinem-lhes a ler! A minha ideia é a seguinte:
Se a sua mãezinha continuar a aparecer a analfabetos beatos não tem hipótese nenhuma. Zero. Vá por mim. Grande malha era ela, de um momento para o outro, aparecer assim do nada, por exemplo, a mim, à retorcida da patroa, ou até a alguém mais inteligente que nós (se for possível) e que seja levado mais a sério. Por exemplo, à Drª Palmira Ferreira da Silva. Infelizmente já não vai a tempo, mas se ela tem aparecido ao Dr. Álvaro Cunhal, f*da-se, isso é que tinha sido!!!...
Pense nisso meu Deus, eu agora vou despedir-me dos clientes com uma grande beijoca, coisa que não é para si porque, como se sabe, não é dado a esses prazeres simples dos mortais.

Da vossa
Rosarinho

4 comentários:

SaltaPocinhas disse...

Porquê a dra Palmira???
Não arranjas ninguém mais esperto, tipo professor Marcelo???

Rosarinho disse...

Saltapocinhas, a D. Palmira é bué de bué de bué de esperta. E se a escolhi a ela em vez do profe do nim foi porque ele também faz parte do clube. Se lhe aparecesse a nossa senhora, aposto tudinho em como caía logo ali a rezar! A D. Palmira, sendo ateia, pedia-lhe logo ali provas que não estava na rega.

Anónimo disse...

Olá Rosarinho!
Já tinha lido que a menina era impaciente e sem papas na língua, por isso, é com alguma surpresa que a vejo tão conhecedora da matéria, ao ponto de enumerar todas as aparições (pelo menos as conhecidas)daquela santa senhora.
Aprendi muito. Já suspeitava (e agora confirmei) que haveria certamente ligação entre a capacidade de visão de alguns e a sua literacia. porque será?
cm

Rosarinho disse...

É muito estudo, muito estudo! Eu, quando não estou a meter no forno, estou a estudar! :)))))