6/03/2007

Olá queridíssimos clientes.
Hoje estou excitadíssima para vos contar uma experiência que tive e que ainda está fresquinha. Senti-me completamente como se estivesse no Twilight Zone e isto, meus amores, não acontece todos os dias. Foi assim:
Como vinha de Estarreja para Aveiro e ainda não tinha pensado no que ia fazer para o jantar, resolvi parar no LIDL para comprar uma treta qualquer desde que, claro, não fosse da marca deles, que eu tenho amor à vida. E assim foi. Só que quando cheguei a casa vi que não tinha os documentos, o que é uma grande chatice. Lembrei-me então que, como tinha aberto a carteira para pagar a conta, eles podiam ter caído lá na caixa. Então, como daqui a Estarreja ainda são uns 25 km e não me apetecia nada lá voltar hoje, resolvi telefonar para saber se se confirmava a minha tese. E aí vou eu às páginas amarelas da net à procura do número. Não encontrei. Bem, deve estar noutro nome qualquer – pensei – e resolvi ir ao site da LIDL. Aí, só tinha um número de contacto, que é este. Liguei e atendeu-me uma gaja com voz de cana rachada que me disse que… preparem-se… os supermercados LIDL NÃO TÊM TELEFONE! Juro! A sério meus queridos, já tinha visto filmes sobre aqueles fenómenos para anormais do Triângulo das Bermudas e isso, mas foi a primeira vez que tive contacto directo com um grupo de pessoas que, de facto, por qualquer motivo que desconheço, atravessaram um lapso espaço-temporal e vivem lado a lado connosco, mas noutra dimensão completamente diferente, para aí em mil trezentos e qualquer coisa. Fogo! Depois comecei a imaginar como deve ser emocionante a vida daquelas pessoas, na idade média em pleno século 21. Como vão lá atrás arrear o calhau e limpar o cu a uma pedrita, como devem ter lá nos armazéns uns monges copistas a fazer a escrita à luz de candeias, como se deitam, à noite, em cima duma esteira cheia de pulgas, como comem nabos cozidos com a mão, lindo!... Finalmente percebi o porquê de tanta nódoa naquelas batas! Pronto, foi um momento único na minha vida. Tinha mesmo que vos contar isto. O que é certo é que vou ter que tirar documentos novos, mas sempre é uma desculpa para me baldar ao serviço e ir para a loja do cidadão bater coiros ao jeitoso que lá trabalha na recepção, que se lixe!

E para acabar, só uma palavrinha sobre o caso dos putos histéricos que foram para a Letónia a pensar que estavam no far-west, ou seja, aqui. Lixaram-se, porque pelos vistos por lá ainda não chegou a moda dos polícias que só se interessam por ver se os carros estacionados têm tiquet do parquímetro, nem dos psicólogos mansinhos que vêm para a televisão com ar de sonsos falar com ar de “Ai os animais são nossos amigos e tal”. Para ser franca eu estou-me bem a cagar para os putos. Aquilo não é o Iraque e o mais que lhes vai acontecer é levarem uns sopapos na esquadra para aprenderem a ter respeitinho. O que eu queria aqui deixar era uma ideia que, apesar de tudo ia poupar balúrdios ao estado. Anda o Ministério de Educação há que tempos com merdas e não consegue resolver o problema da indisciplina nas escolas (que a bem dizer já nem é indisciplina é mesmo delinquência), os profes cada vez são mais bananas e ajudam a dar maus exemplos, os pais são a tristeza que se vê… Eu acho que a solução era: Processo disciplinar, um mês na Letónia. Paizinhos incluídos. Aprendiam num instante.

E pronto, queridos clientes, por hoje é tudo. Tenham uma semana porreirinha e fiquem com uma grande beijoca da vossa

Rosarinho

7 comentários:

Fatyly disse...

LIDL jamais e não têm de facto telefones para eventualidades.
Fui uma única vez e não gostei do ambiente, produtos, atendimento e outros condimentos como descreves tão bem:):)
Quanto aos documentos...lá terá que ser:(

Quanto aos putos, subscrevo na integra.

Obrigado por este momento de leitura, boa semana e também uma beijoca para ti

mirone disse...

Pela sua crónica, querida, dá a ideia que naquele percurso só havia o LIDL e, zás, foi lá comprar qualquer coisa... mas não deles que eu tenho amor à vida...Pois, pois. Menos de um quilómetro depois a Rosarinho tem o Carrefour e o Feira Nova.
PS. Eu também tenho amor à vida e compro BONS produtos no LIDL. Mas eu compreendo, fica bem desdenhar assim, pois aquilo náo +e um hiper IN e foi lá que, por azar, perdeu a carteira... e não há telefones (imperdoável, aqui dou-lhe razão).

Rosarinho disse...

E uma beijoca também para ti Faty :)))

Ah pois não Mirone, há mesmo ao lado o Pingo Doce por exemplo. Mas sabe como é, a nostalgia do reles...

mirone disse...

Quem confessa não merece castigo. Muitas beijocas e sonhod felizes

AVC disse...

Não devemos estar a falar do mesmo LIDL!
Têm iogurtes excelentes, há uns de baunilha, belgas creio eu, que são uma delícia. A lasanha é óptima, assim como os queijos que existem em grande variedade. Têm lá umas sopas caseiras excepcionais. É só meter no micro-ondas, sem corantes nem conservantes nem intensificadores de sabor.Os biscoitos são excelentes e em grande variedade. Têm chocolates muito bons e provenientes de alguns países de excelência. Há papel higiénico de grandes dimensões (como eu gosto), a água é bastante barata. Os sumos são em geral de boa qualidade, não tendo corantes nem conservantes, etc. Preconceitos!? É preciso é saber escolher o que se compra e o que se quer pagar! Já vi e vejo muita porcaria noutras superfícies, e uma coisa é certa, há promotoras de vendas em todas as esquinas lá isso há!
Cumprimentos.
Telefone para quê?

Rosarinho disse...

Telefone para quê?! Para eu perguntar pelos meus documentos!!!

Movimento Pela Net Mais Barata disse...

Manifesta-se em toda uma série de coisas que dificultam o desenvolvimento do país.
Falamos da internet lenta, desesperante e de péssima qualidade que pagamos a preços exorbitantes. Este é um assunto que nos afecta a todos e que é preciso fazer qualquer coisa JÁ. passem pelo nosso blog e assinem o manifesto!