12/26/2009

E é para isto que a gente lhes paga


José Sócrates, como é da praxe, dirigiu aos portugueses uma mensagem de Natal a falar de esperança no futuro e de todas aquelas coisas vazias de que são feitas as mensagens de Natal.
A oposição logo veio como matilha de cães sem açaime dizer que a mensagem não trazia nada de novo.
Se, na mensagem de Natal, Sócrates tivesse anunciado quinhentas e trinta medidas para acabar com o desemprego e desenvolver a economia, a oposição teria caído em cima como cães sem açaime a dizer que a mensagem não tinha trazido nada de novo.
Se, na mensagem de Natal, Sócrates tivesse oferecido a cada português uma jantarada no Tavares, a oposição teria caído em cima como cães sem açaime a dizer que a mensagem não tinha trazido nada de novo.
Se, na mensagem de Natal, Sócrates tivesse feito o pino enquanto cantava o Jingle Bells e assobiava, a oposição teria caído em cima como cães sem açaime a dizer que a mensagem não tinha trazido nada de novo.
Se a mensagem de Natal tivesse saído da boca de qualquer primeiro-ministro que não fosse o Sócrates, Sócrates teria caído em cima como um cão sem açaime a dizer que a mensagem não tinha trazido nada de novo.
E é para isto que a gente lhes paga.

9 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Mas se Sócrates tivesse dito que 2010 vai ser pior do que 2009, que mais empresas vão fechar e vamos ter mais desemprego; que, depois da Grécia, Portugal vai conhecer finalmente o sabor da verdadeira crise; que os funcionários públicos, queiram ou não, vão ter que aceitar reduções nos seus salários e que o governo, seja ele qual for, será completamente impotente para impedir este destino, então, sim, estaria a dizer algo de novo. E ao dizê-lo, estaria a dizer a única coisa que poderia, de facto, minorar a catástofre. Mas Sócrates é só teimoso. Não é corajoso.

Didas disse...

Ora ora, isso ainda se está para ver. Com o Sócrates ou qualquer outro!

AB disse...

Ó Didas, fazer o pino enquanto canta o Jingle Bells na mensagem de Natal, acho que qualquer oposição, mesmo maldosa, teria que reconhecer que era novo...
De resto, tenho que concordar com o Funes. Isto vai caír e com estrondo, e já deviam estar a ser tomadas medidas. Vou sentir muitas saudades do Euro. Durante um tempo tivémos na mão a mesma moeda que os Alemães e Franceses, e vai ser o bom e o bonito quando voltarmos a comprar gás, petróleo, medicamentos, comida (enfim, tudo) com as caricas que irão substituír o Euro.

mfc disse...

Um grande 2010 para ti... e que o novo ano seja realmente diferente para melhor.
Um beijinho.

kuka disse...

Didas. Agora vou citar o "AB":
mas porque é que liga a TV à hora das refeições? A Didas parece ser uma pessoa adulta e equilibrada, o que é que ainda espera da TV? O que é que acha que a TV pode trazer de bom à sua vida?

Anónimo disse...

A Didas não tem ido, por acaso a nenhum centro comercial...
Se tivesse ido, veria que a malta até parece que já vê luz ao fundo, como o Sócrates!
Não é consumo,...é isso mas, com um "mismo" em vez do "o" no fim.

zeca

Didas disse...

AB, as caricas também andam a escassear muito no mercado, não sei como é que vai ser.

mfc, isso é o que todos queremos, mas poucos acreditam. Um beijinho!

Kuka, nada. Mas eu já não sei fazer outra coisa quando entro na sala. E depois, como é que eu ia dizer mal?

Didas disse...

Oh Zeca, nem tinha visto esse comemntário aí perdidito!
Não, não tenho frequentado esses locais, tenho estado em férias de tudo. Só lá vou hoje comprar a cuequita azul de fim-de-ano, é uma tradição cá na padaria.

Helder Marques disse...

O Socrates a fazer oposição é mais divertido e tb realista, Didas. Saberia dizer mal de tudo, fosse la o que fosse, mas com o seu charme caracteristico. A diferença seriam, nao o "criticar, dizer mal e outras politiquices costumeiras que tais" mas o que se poderia conseguir fazer enquanto no poder. E o Protegido Socrates já mostrou que, de bom, sabe muito pouco mesmo"