2/25/2010

História, ou estória, ou lá o que chamam a isso agora

Olhou-a nos olhos e inspirou, a encher o peito de ar. Arqueou os ombros e a cabeça deslocou-se um pouco para a frente. Cerrou as sobrancelhas, ensaiando uma fisionomia hostil. A sua atitude era de pura provocação. Se ela reagisse, se o atacasse, então talvez conseguisse desferir o golpe fatal, com a consciência tranquila de ter agido em legítima defesa.
Mas ela não reagia. Olhava-o apenas, movendo rapidamente o pescoço, curiosa. Ia jurar que sorria.
Ele tentou novamente. Desta vez, enquanto aproximava o seu olhar ameaçador do rosto inocente, rosnou um pouco. Baixinho, muito baixinho, como que numa ameaça em surdina. "Ai se te agarro!". Mas, para seu grande desespero, ela continuava impávida e serena. Mais inofensiva do que nunca e sem esboçar qualquer gesto de agressividade, agachou-se no chão, lançou um pequeno som, quase um gemido, e ficou ali, como que a dizer que estava muito, muito aborrecida, mas gostava dele na mesma e não se importava de esperar que ele acabasse aquela brincadeira tão chata.
Assim não podia ser. Assim, não tinha coragem de a matar. Decidiu tomar medidas mais extremas. Além de aproximar o rosto pouco amigável do dela, deu-lhe um pequeno safanão na cabeça. Ela desequilibrou-se um pouco e soltou outro som, desta vez mais audível, mas continuou quieta.
"Ataca-me, estúpida!" - gritou ele já em desespero. Mas em vão.
Ficou ali mais um pouco, de faca afiada na mão, à espera que um assomo de coragem lhe invadisse a alma. Mas como nada aconteceu, pegou nela ao colo e saiu em direcção à casa da vizinha. Bateu à porta. Ela abriu.
- Oh vizinha...
- Já sei! - respondeu ela com o sorriso do costume - Não tem coragem para matar a galinha! Eu depois levo-lha lá.
E pegou no animal pelas asas, levando-o para dentro.

5 comentários:

jg disse...

Estás uma autêntica Hitchcocka!!

Saltapocinhas disse...

ahahah!
a minha mãe fazia o mesmo...mas era a vizinha que vinha lá a casa.

Didas disse...

jg, isso tem a ver com cock?

Saltapocinhas, eu faria o mesmo também se tivesse que matar alguma.

garfanho disse...

muito boa a "História, ou estória, ou lá o que chamam a isso agora".

Didas disse...

Lol, obrigada!