9/06/2010

Olá queridos clientes! A semana foi um bocado repetitiva, mas a culpa não foi minha. Por mim, aquela porcaria da Casa Pia já se tinha resolvido há que tempos e já ninguém falava nisso. Mas vamos ver:

1. E pronto. Saiu finalmente o acórdão (que é o que chamam em linguagem fina aos bitates dos juízes) do processo Casa Pia. Podia dizer-se muito sobre o assunto, e na verdade disse, mas a história resume-se a isto: Foram condenados alguns inocentes que nunca viram o cu a um puto na vida a não ser para lhe mudar a fralda, não sabiam de nada, não tinham nada a ver com o assunto e mais, se alguma vez os mandassem ir a Elvas eles só conseguiam lá chegar de GPS e mal! É chato! Agora falta apanhar os verdadeiros culpados, que ao que tudo indica são gajos que já se escapuliram para nunca mais serem vistos.

2. Os condenados, em vez de irem logo dormir às novas instalações e ao contrário daquilo que a gente vê nos filmes, sairam por aí a dar entrevistas e conferências de imprensa. Fontes seguras já garantiram ao staff da padaria que está para sair um filme baseado nos acontecimentos, cujo título vai ser "O Estrilho dos Inocentes".

3. Hugo Marçal, um dos anjinhos, publicou imediatamente um livro em que conta que, para evitar conversas porcas com um juíz sobre aquelas "coisas" que ele nunca fez e até é contra, comeu sabão, como se faz aos putos quando falam mal.

4. O resto da semana resumiu-se a algumas anedotas. Uma delas foi uma saída do Vaticano, que comparou a expulsão de ciganos romenos de França ao holocausto. Como todos sabemos, no holocausto, o pessoal ia todo de livre vontade, sentadinho num avião, e com o equivalente a 300 aéreos no bolso para gastarem no quisessem à chegada, é tal e qual.

5. Assim do nada, também, alguns cromos lembraram-se de cenas que não têm nada a ver mas que conseguiram ser notícia por alma da santa: O lançamento de mais um filme de kung fu igual a outros 375 chamado Karate Kid, a votação nas sete maravilhas de Portugal que vai sair da crise assim que se saiba se a mata do Buçaco é mais gira que a de Sintra ou antes pelo contrário e, last but not least, mais uma vez as reportagens sobre duas ou três famílias de suburbanos num momento de glória a irem ao continente com os rebentos comprar os cadernos e as mochilas e a fazer as contas de somar para a gente saber quanto é que gastaram naquelas porcarias todas. Dá sempre.

E pronto queridos clientes, por hoje é tudo. Fiquem bem e aguentem-se que eu também.
Um beijinho da vossa

Rosarinho

10 comentários:

estrela do ar disse...

Estes jornalistas têm uma imaginação sem medida...

Fernando Antolin disse...

Uma das maravilhas de Portugal foi ter visto,durante uma suave volta de 30º de inclinação, procurando "centrar" uma térmica lá por Évora,um milhafre a dois metros da ponta da asa, que me olhava e o fazia muito melhor que eu...e para quem não percebeu, eu depois explico.

Rosarinho disse...

Estrela, e os juízes???

Fernando, estou à espera. Sentadinha na plateia.

Fernando Antolin disse...

Cara Rosarinho, não sei se a minha explicação "aí chegou", tento outra vez e espero não a duplicar.
Arranja-se então um planador e aprende-se a pilotar o dito(não muito mais difícil do que andar de bicicleta...),depois escolhe-se um daqueles dias em que no Alentejo o calor faz subir as pedras e os chaparros e suavemente tentamos subir em espiral numa coluna de ar quente, a tal de "térmica". Ora acontece que milhafres e bichezas afins o fazem muito melhor que nós e foi essa companhia que tive a olhar para mim, a dois metros ou coisa assim, da ponta de uma asa, tal como disse no outro comentário.Aproveitamos para ouvir...o silêncio e temos, literalmente, o mundo a nossos pés.Espero que tenha gostado.E agora, back to business aqui no aeroporto.Uma boa noite.

Anónimo disse...

Resumo fantástico. :D

Rosarinho disse...

Ai Fernando! Também quero!!!

Rosarinho disse...

Obrigada Hyndra :)))

Anónimo disse...

Passados todos estes anos, o teor do acórdão é irrelevante, na mesma medida em que o "estrilho dos inocentes" ou o livro do anjinho são ruído. É óbvia a não investigação dos factos, pois de outra forma o processo teria tido outro andamento. O que nos leva aos escapulidos e nunca mais vistos: Em 30 anos, tudo o que o Estado, a Casa Pia, os seus responsáveis, as Policias e o ministério Publico produziram foi este processo??? R: Foi, e isso é que é mesmo muito chato!
Creio que nos atiram areia para os olhos, e nós deixamos... É ai que entram os média. Se por um lado nada se saberia, cortesia da Cabrita, por outro o circo montado a jusante em nada nos esclareceu ou tão pouco aprofundou a investigação.

Pergunto: Em que medida a instituição Casa Pia mudou? Como são hoje protegidas as crianças à sua guarda?

O verdadeiro problema nunca foi abordado, e para tal todos demos o nosso contributo, porque centramos a atenção no circo, no ruido e nunca quisemos saber o que se passou e provavelmente passa com as crianças. Todos nos sentimos repugnados, mas não queremos chatices... É triste.
GMS

Rosarinho disse...

Essa foi profunda...

Anónimo disse...

Faltou a imaginação para a sátira em torno dos factos... acabou em desabafo.
GMS