10/09/2010

E para hoje uma singela pergunta

Porque é que as obras públicas têm derrapagens gigantescas e as obras particulares nem por isso?

9 comentários:

Saltapocinhas disse...

porque temos os políticos de que falas ali em baixo, os tais das festas...

Rosarinho disse...

Isso e uma impunidade total para quem trata dos concursos e das adjudicações. E uma impunidade total para empreiteiros e quejandos que fazem obras públicas com areia e meia dúzia de anos depois vêm abaixo e é preciso fazer outras. Estamos entregues à bicharada!

A.B. disse...

Mas as obras privadas também têm derrapagens gigantescas (e nas públicas também somos nós a pagar). Só que o mal é logo cortado pela raíz, ou seja, quem a encomenda não paga senão o que está orçamentado. Olhe, conheci um empreiteiro que faliu por se ter enganado nos cálculos para abrir uma charca de irrigação. As máquinas dele conseguiam chegar a 8 metros de profundidade a quatro de distância. Ou seja, qualquer buraco com 8 de largura por 8 de fundura, sendo o comprimento quase arbitrário, podia ser feito "de fora". Pediram-lhe uma de 10x10 e ele não viu o busílis. Para os 2 metros extra, as máquinas tiveram que entrar no buraco, retroescavadoras, camiões, terraplanagem. E muita lama, e uma coisa é tirar lama "lá de cima", outra é estar mergulhado nela. Faliu. Ao contrário do Estado, o dono da obra não pagou nem mais um avo acima do orçamento. Que é o que o Estado devia fazer. Mas ó Didas, nunca viu o filme "The Producers"? Um fiasco pode dar muito mais a ganhar do que um sucesso...

Didas disse...

Oh A.B., tudo bem! Mas era mesmo isso que eu estava a dizer! Mesmo isso! O "seres tu a pagar" significa que pagas directamente, da tua conta bancária. As outra também pagamos mas como ninguém chega a sentir o guito a voar, ninguém se rala. É tudo uma questão de cultura, e a nossa é uma desgraça.

Anónimo disse...

O que se espera de uma situação como a que se encontra este País?
Por tabela "comem" todos os que trabalham honestamente para sustentar toda esta cambada!...

Zé de Aveiro

A.B. disse...

Didas, sentir o guito a voar - que linda expressão - acho que já toda a gente sente, caramba! E não é de agora, que as asinhas já lhe cresceram e está adulto e prontinho para ir e nunca mais voltar.
Dou-lhe inteira razão Didas, a nossa cultura é uma desgraça e eu também devia ter emigrado para um país civilizado, nem que fosse o Burundi. Pensei que finalmente iria haver alguma solidariedade debaixo desta cambada que nos rege, mas Portugal ganhou o jogo e as pessoas queixam-se que os bilhetes para os U2 eram caros e não saímos disto.
É triste, mas já que produzimos, educámos, alimentámos, elegemos e pagamos a merda, talvez no fundo a mereçamos...

Didas disse...

Ora nem mais.

Fernando Antolin disse...

Prezada Rosarinho, esta "obra" ainda se aguentou entre S.Mamede e Aljubarrota...depois foi o azar de terem ganho e..."prontos" derrapou incontroladamente até hoje.

e bem dizia o Gustavo Adolfo Bécquer,
"...Fingiendo realidades
con sombra vana,
delante del Deseo
va la Esperanza.
Y sus mentiras,
como el fénix, renacen
de sus cenizas. ..."

ai ai

Rosarinho disse...

Mas pronto meu caro, somos uns líricos...