2/01/2011

Quando eu era pequenina


- Pensava que o menino Jesus tinha nascido ali naquela zona ao pé do palácio da presidência.
- Achava que quando as equipas jogavam em casa corriam o risco de partir a loiça toda e não percebia qual era a vantagem disso.
- Pensava que tínhamos que casar com alguém que tivesse o último nome igual ao nosso.
- Não percebia porque é que pessoas solteiras conseguiam ter filhos.
- Pensava que se trincasse a hóstia que o padre nos dava ao domingo na missa ia arder no inferno para sempre.
- Nunca percebi porque é que Deus era o pai do céu.
- Achava que no dia da independência, em 1640, o espanhol que atiraram da janela abaixo tinha ficado com as roupas todas sujas de terra e a mãe tinha ralhado com ele.
- Achava que os espanhóis eram portugueses que não sabiam falar muito bem.
- Tinha medo do monstro que morava debaixo da minha cama.
- Achava que a máquina de lavar roupa um dia me atacaria a meio da noite quando eu estivesse a dormir.
- Decidi que quando crescesse ia ser freira porque não era preciso fazer nada.
- Sentia-me super-feliz por ter nascido menina pois assim nunca teria que usar guarda-chuvas pretos nem fatos cinzentos.
...

7 comentários:

Imperator disse...

é tão bom sonhar ingenuamente

o chato é que quando crescemos algumas coisas não são bem como julgávamos, contudo, crescemos e descobrimos outras coisas interessantes :)

jg disse...

A hóstia nem sequer podia tocar nos dentes!!!

Larose disse...

... o que tu foste buscar
Lembrei-me de que das coisas que mais me confundiam as ideias em pequena, era como nós celebrávamos o nascimento de jesus, e passados meses estávamos a celebrar a morte dele ....raios se eu conseguia compreender tal coisa

Funes, o memorioso disse...

E onde é que foi buscar a ideia de que se trincar a hóstia que o padre lhe dá não vai arder no inferno para sempre?

Didas disse...

Imperator, é a chamada lei das compensações.

jg, esse pormenor era o requinte máximo de malvadez. Ou então queriam-nos treinar para uma qualquer prática perversa.

Larose, tenho uma experiência parecida com a Páscoa. Por muito que eu perguntasse porque é que comíamos folares com ovos paa comemorar a morte de alguém, ninguém me sabia explicar.

Funes, foi um padre que me disse! Queres ver que o sacana me enganou???

Saltapocinhas disse...

tem tanto em comum comigo que até me apetecia roubar-te!

Didas disse...

rouba! E mete mais alguns que depois eu roubo!