3/13/2011

Tive uma ideia!

Tive uma ideia e acho que ela é a salvação da pátria. Por isso, antes de patentear, venho aqui partilhar com os clientes. Vamos acabar com as eleições à borla. Só dão prejuízo e não têm popularidade nenhuma porque já se viu que a malta prefere ir à volta dos tristes ou ficar no sofá a arrotar o almoço de que ir votar. Está visto, nós não valorizamos o que nos dão à borla, tem que ser a pagar. A partir de agora vamos para o voto por chamada telefónica como no festival da canção, com a opinião do público a valer 50% e a dos deputados outros 50%. Além de muito mais justo e permitir uma verdadeira democracia participativa, passa a ser muito mais emocionante pois pode haver grandes reviravoltas nos minutos finais. Vejamos por exemplo a moção de censura do bloco: Os deputados decidiram que nim. Pronto. Agora imaginem aquilo em directo na televisão e uma apresentadora gira a anunciar que "a partir de agora os senhores telespectadores podem votar! 760100301 se concorda com a moção, 760100302 se não concorda com a moção." e depois outra também gira (isto para os gajos, claro, que são sempre mais preguiçosos) lá dentro na green room a entrevistar os candidatos: "Olá Engenheiro Sócrates! Diga-me lá, está nervoso?" - e ele - "Claro, claro, estes momentos são sempre de nervoso miudinho mas o júri distrital já nos deu a vitória e estamos confiantes!" - E entretanto vinha outra vez a apresentadora anunciar que já tinha acabado o tempo para telefonar e chamava um gajo ao palco daqueles que ganharam o concurso no tempo dos fenícios, tipo o Ramalho Eanes (é sempre giro), para abrir o envelope e revelar o resultado.
Digam lá, era ou não era muito mais baril?

9 comentários:

A.B. disse...

Essa parece a minha idéia de distribuír prémios pelos cidadãos votantes para acabar com a abstenção. Devo patenteá-la?

mfc disse...

Estive ontem na manifestação no Porto!
Senti a vibração do querer daquele imensidão de pessoas!
Quero tanto ter um país a sério!

Didas disse...

A.B., essa é mais cara, não há condições!

mfc, muda de país!

A.B. disse...

Acha que não? Eu acho que o dinheiro gasto pela Comissão Nacional de Eleições a convencer a malta a usufruír dum direito que nem tem preço, dava para sortear uns Cayennes. Uns 2000...

A.B. disse...

E se sorteassem os carros do Estado todos os eleitores saíam de BM e ainda sobravam.

Didas disse...

Por aí já começa a ser ideia!

Saltapocinhas disse...

seria bem giro!

Saltapocinhas disse...

ah, mas tinham de sortear um carro entre os votantes!

Didas disse...

Ainda dava para isso!