6/28/2012

E mais uma vez, serviço público

Hoje retomamos o serviço público para alguns conselhos de sobrevivência úteis e totalmente baseados em casos reais e em experiência própria.

CONSELHOS PARA QUANDO FOREM A UMA REPARTIÇÃO DE FINANÇAS
1. Encostar bem o rabo à parede.
2. Não acreditar no que eles dizem à primeira
3. Não acreditar no que eles dizem à segunda.
4. Não acreditar no que eles dizem à terceira.
5. Não acreditar no que eles dizem de todo.

Atenção! Ou os funcionários das finanças são todos desinformados e incompetentes ou (não sei se pior se melhor), atiram o barro à parede para vos sacar dinheiro a ver se aquilo cola, assim ao jeito do que fazem constantemente as empresas de televisão por cabo, internet e comunicações, bem como fornecedores de água e energia além de outros de que não me estou a lembrar.
Só nos últimos dias (e depois de muito espernear) constatei que a minha (salvo seja, se fosse mesmo minha já estava no prego) repartição de finanças me deu informações erradas sobre:
1. Incidência do IVA
2. Declaração de pensões de alimentos no IRS
3. Juros de mora
E sempre contra mim. Talvez por coincidência, claro.

3 comentários:

Imperator disse...

algumas maneiras de a coisa ir funcionando para as bandas das finanças:

- se é para entregar algum documento, ir com mau aspecto, tipo arrumador/arrumadora de carro, nem olham para o que se está a entregar;

- ser-se mais burro do que realmente somos, incluindo deixa-los chamarem-nos (indirectamente) burros porque deveríamos saber isto ou aquilo, mas no fim todos inchados dizem o que nós precisamos de saber sem grandes dificuldades.

- em último caso, o livro de reclamações também funciona

mfc disse...

... então tá tudo normal!

Beijos,

Anónimo disse...

Dulce Félix ganhou pela segunda vez a medalha de ouro nos 10.000 metros, desta vez nos campeonatos europeus de atletismo!
Para além dela houve uma de prata e uma de bronze bem como uma prestação muito boa dos Portugueses em geral!
Imaginem se tivessem as condições de preparação que os da futebolândia! Como seria?
Mas estas pessoas não provocam histeria no povo meio "analfabeto" deste triste País!
Quanto ao atendimento nas Finanças deviam ser obrigatóriamente melhores, são pagos acima da média na "família" dos funcionários públicos e portanto é um estímulo que muitos outros não tem!

Zé de Aveiro