5/15/2006

A MINHA TIA DORES, O MARIDO, A VIZINHA E O TONY CARREIRA

Olá queridos e queridas.
Hoje vou contar-vos uma aventura que a minha Tia Dores teve com o marido este fim-de-semana e a grande banhada que levou. É sempre bom passar palavra destas coisas pois não há nada como estarmos avisados para não cairmos nas mesmas esparrelas dos outros, não é?

Então passa-se que a Tia Dores e o marido resolveram ir este fim-de-semana a um concerto que havia no Pavilhão Atlântico e que era do Tony Carreira. Vai daí a tia comentou com uma vizinha e ela disse-lhe qualquer coisa como que de Tony carreira não sabia nada mas também estava para ir a um, que tal como o outro também era lá para o sul e que também se esperava uma enchente de fãs, por isso devia ser a mesma coisa.
A Tia Dores nem tem mais nada, dois concertos com bués da gente no mesmo fim-de-semana e os dois para sul, só podia ser a mesma coisa. E toca de alinhar. E é que a mulher nem desconfiou quando a vizinha lhe disse que tinham que ir a pé e que quem estivesse doente podia ir lá pedir para ser curado e jurava a pés juntos que dava resultado. “Ena, Ena!” – pensou a tia – “Um dois em um! Ainda melhor!” – só aquela cena de ir a pé é que a estava a chatear um bocado porque tem um bocadinho de peso a mais e queria apresentar-se toda janota no concerto e assim era bem capaz de lá chegar desalinhada. Mas paciência...
Assim foi, e lá partiram uma semana antes do concerto para conseguirem chegar a tempo e ainda arranjarem lugares nas filas da frente. A Tia Dores levava uns sapatinhos novos de verniz que comprou de propósito na Loja 995 para a ocasião, por isso quando chegaram a S. Bernardo já ela levava os pés todos lixados e ainda a procissão ia no adro. Teve que os tirar e fazer o resto do caminho com os chinelos que lhe emprestou a vizinha. Ela ainda perguntou porque raio tinham que fazer aquilo a pé com tanta camionete da carreira por aí, mas a outra desenganou-a logo. Que se não fosse assim, a parte da cura não resultava. Isso ainda fez estranhar mais a Tia Dores pois um tratamento daqueles a quem já sai de casa doente não deve fazer nada bem, mas se eles dizem, lá devem saber... Além disso, o mal de que ela secretamente se ia queixar era da impotência do marido, que desde que começou os Morangos com Açúcar não consegue dar uma, o que já faz mesmo muito tempo. E a esse mal, se uma caminhada não faz bem, também não deve fazer mal.
Então lá continuaram.
Quando chegaram iam mal tratados como o caraças, cheiravam a cão por não terem tomado o banho semanal que o tio nunca dispensa e ainda por cima estavam atrasados como tudo. Quando entraram no recinto, já aquilo estava cheio até às bordas. Não tinham vista nenhuma de jeito para o palco (que aliás nem sabiam onde estava) e Tony Carreira nem vê-lo. A Tia estava mais que podre porque tinha levado um poster para ele autografar e não estava a ver maneira. Mas lá que o público estava entusiasmado estava, todos de velinha no ar como se fosse isqueiros. E disse o tia – “Eh pá! A banda da primeira parte também deve ser boa!” – e lá começaram a ouvir música. Só que era sempre a mesma, com um refrão muita lento, “Avéééé! Avéééé! Avé Mariaaaaa!!!”, está claro que o tio começou logo a acaralhar, tipo trouxeste-me para aqui, estou com o c*ralho dos pés todos f*didos e isto é que é o concerto?, só que estavam umas senhoras à volta que começaram a olhar com ar ameaçador e ele teve que se calar.
Depois, no dia seguinte, foram para tratar daquela cena das doenças e aí é que a Tia descobriu que depois daquele sacrifício todo não lhe ia valer de nada, porque a p*ta da vizinha não a tinha avisado mas era preciso levar (ou comprar lá) uma figura em cera que representasse a parte doente. E a vizinha, toda gaiteira, toca de tirar umas pernas do saco (por causa das varizes) e amandar para a fogueira. A tia é que ficou como o tolo no meio da ponte, porque aquilo que ela precisava em cera não havia lá nenhuma loja que vendesse, e se ela tem sabido ia daqui prevenida porque tinha passado naquela loja que há no centro Oita.

E foi assim.
Por isso, meus queridos, se quiserem ir a um concerto, não vão em cantigas de ninguém. Vejam bem a programação e tratem de tudo por vossa conta!

Beijos grandes da vossa


Rosarinho

2 comentários:

SaltaPocinhas disse...

Ahahahah! Apesar de não ir a essas coisas (nem do toni carreira nem onde foi a tia Dores) tenho muito respeito por quem vai a Fátima com fé e nunca digo que desta água não beberei...
E pelo que vi na TV as histéricas não se enganaram no caminho e foram direitinhas ao Toni!!
Mas da maneira como escreves é de chorar a rir!!

nuno marujo disse...

olá didas,
será que poderás me dar uma ajudinha ?!
vai a:
http://tunaoexistes.blogspot.com/
verá um blog inteiramente dedicado à publicação do meu novo livro
parti nesta aventura - por sugestão de alguns amigos - de o dar a conhecer sem qq contrapartida
gostaria que resultasse
se puderes ajudar, fico-te muito grato!
(como podes ajudar?: é fácil, se pderes fazer um post que o anunciasse, seria divinal, dado o nº de leitores que o teu blog tem
além disso,
a tua própria opinião seria MUITO IMPORTANTE)

obrigado!