11/16/2009

Olá queridos clientes! Cá estou eu pela primeira vez desde que redecorámos o estabelecimento. Espero que gostem. Eu, pessoalmente, andava fartinha da p*ta da carrinha pão-de-forma e daquela paneleirice dos tons rosa. Mas vamos ao que interessa, que é a análise dos acontecimentos que tiveram lugar durante a semana passada.

1. Um grupo de militares foi a Fátima rezar antes de partir para o Líbano. Como muito bem explicou o Bispo das Forças Armadas, trata-se duma missão de paz mas, como nunca se sabe, é aconselhável ir antes rezar uma beca à senhora de Fátima, o que não tem a mesma lógica de levar uns coletes anti-bala ou umas armas para defesa, mas sabemos que estas coisas são só para as pessoas mais inteligentes perceberem. Não sabemos se os militares foram à reza voluntariamente ou à força porque estavam proibidos de prestar declarações e só o bispo (que é gajo com estudos) é que podia falar. O que também não foi explicado é quem pagou a viagem ao santuário dos 141 marmanjos e quem paga o ordenado do bispo, uma vez que dizem que estamos num estado laico. Deduzo então que não sejamos nós. Mas também, quem paga submarinos paga qualquer coisa.

2. O nosso primeiro, José Sócrates, apareceu na televisão a ser vacinado contra a gripe A para incentivar o saloio. Eu tenho cá para mim que aquilo era só água, porque o gajo não é parvo e deve saber bem que não há nenhuma garantia de não se esticar o pernil depois de meter a mixórdia na veia e que na verdade aquela droga só serve para aumentar os lucros das farmacêuticas. Até eu sei e só sou empregada de padaria.

3. Os ingleses decidiram arquivar o processo do caso Freeport por, alegadamente, não haver provas suficientes para constituir arguidos. Isto quer dizer que chegaram à conclusão que o trafulha da história foi mesmo o Charles Smith e sendo assim já não valia a pena. Toda a gente sabe que os gajos não nos gramam nem um bocadinho e então desde que os McCann deram sumiço na miúda e a malta desconfiou, só de falar em nós já lhes dá um nó na úlcera!

4. Esta semana falou-se imenso numas scooters que pelos vistos havia entre Sócrates e Armando Vara e parece que toda a gente sabia menos eu, que até pensava que essa gente só anda de carro com motorista particular. Parece que as scooters não são válidas e vão ser destruídas. Também há quem diga que são ilegais. Não devem ter livrete. Serão roubadas?

5. Finalmente, uns cientistas concluíram que na lua há mesmo água, o que abre imensas perspectivas sobre o interesse do satélite em missões futuras. Isto, em linguagem comum, quer dizer o seguinte: Agora que já f*demos este planeta, vamos f*der também o outro, bora!

E pronto queridos clientes, por hoje é tudo. Fiquem com uma beijoca da vossa Rosarinho e passem bem. Mesmo com o mau tempo que aí vem.

5 comentários:

Peter Gunn disse...

É verdade... depois da Terra ja podemos ir no futuro à praia na Lua... não deve ser muito facil mas nos proximos 100 anos alguem deve arranjar uma maneira mais acessivel do que ir de foguetão que ainda custa uma nota preta!

Agora a sério... ia-me urinando a rir com as Scooters do Vara! Excelente momento da Padaria!

Cumprimentos

AB disse...

A bem dizer a NASA precisa de dinheiro, como toda a gente - com a diferença que o que eles precisam anualmente dava para pagar a dívida externa Portuguesa inteirinha.
Assim, já houve vida em Marte, água em Marte, e agora água na Lua. E há. Um litro por hectare, bem misturado com o pó.

Rosarinho disse...

Peter, porquê?! Não são scooters???!!!

AB, uma explicação certeira para o fenómeno da água, não haja dúvida.

AB disse...

É que não duvide Rosarinho. Gente do CERN e da Agência Espacial Europeia qualificou a afirmação da NASA (de que essa água poderia servir para manter uma base habitada na Lua) não como um erro, mas como uma pouca-vergonha. Não é só cá que se pregam grandes petas para sacar dinheiro ao contribuinte.

Rosarinho disse...

Claro que não. Nós não inventamos nada, também não íamos inventar isso.