1/09/2010

O nosso governo é bom

1. Vão acabar as bichas solitárias
2. Vamos passar a comer bolo gay em Janeiro
3. A exponoivos vai ter visitantes a dobrar
4. Quando o padre mandar beijar a noiva vai estar a referir-se a quem?

Estas foram quatro das muitas que já ouvi hoje. Se não fosse esta lei lá andaríamos nós murchos e cabisbaixos, sem um motivo novo para inventar piadas, embora umas mais secas do que outras.

10 comentários:

kuka disse...

E se aparecerem 92.000 assinaturas a pedir um feriado para o dia 8 de janeiro! Será de considerar?

kuka disse...

Informo que não assinei nenhuma petição.

Didas disse...

Não é de considerarporque senão a AEP acha que estamos fora da média europeia e já não aumenta os ordenados.

jorpe disse...

e será que vão ter direito aos 15 dias de licença de casamento ?

mfc disse...

Não me vai servir de nada que não sou gay... mas fiquei contente com a aprovação.

Luís Maia disse...

eu acho que terão direito a tudo menos a adoptar porque o PS não quis.

APC disse...

Acho que vai acabar td na gaveta. Aposto o pescoço que o beato do PR vai mandar a lei para o TC. Não sei se será desta...

kuka disse...

E isso é o quê? Associação empresarial de p.........

AB disse...

Que interessante, nos blogs por onde andei está tudo tão contente...mas ninguém é gay. Boa sorte para eles. Ficaram numa posição delicada depois desta luta toda. Eu que sou bom a fazer filmes, já estou a ver a cena entre dois gays;
- Quero o divórcio.
- O divórcio? Mas o que é que as pessoas vão dizer?
(Ou seja, como os nossos avós).
Já só falta a poligamia e o incesto. Não tão diferentes do ponto de vista técnico entre adultos com idade de consentimento, não sei porque ficaram a meio caminho.
APC, o PR pode ser beato mas a Constituição é laica. Pela mesma razão, se a lei fôr reprovada em TC é porque não está correctamente elaborada.
E o que é que se perde se fôr reprovada? Esta lei acaba tanto com a discriminação como o facto de ser legal ser negro acabou com o racismo. Foi impingida, mostraram duma vez que o Referendo só se faz quando convém, que impôr é mais fácil que educar, e que meia dúzia de almas bem-pensantes acham que o povo é bruto, grosseiro, analfabeto, inculto, violento, não tem o mínimo gosto para decorar a sala de estar e só serve para morrer na guerra e pagar impostos. Democracia? Pois...

AB disse...

Rectifico parcialmente o meu post. Não sabia que o assunto fazia parte do programa eleitoral do PS, o que, em parte, justifica a ausência de referendo.