6/15/2011

Balha-me Dios!


Eu sei que as línguas não são o forte deles. E pelos vistos, os pepinos assassinos também não. Mas quando a sorridente empregada de hotel te pergunta o número do quarto à entrada do pequeno-almoço e tu respondes, em português escorreitíssimo, "duzentos e doze", e a seguir a vês à toa, sem saber o que escrever nos apontamentos dela, e quando concluis que ela só chegou lá depois de lhe mostrares o cartãozinho da porta... chiça! Isso não é ser fraco em línguas! Nem sequer chega a ser burrice! A bacana só pode mesmo ser surda!

6 comentários:

Constantino, Guardador de Vacas disse...

hombre!

mfc disse...

Por supuesto, mujer!!

Didas disse...

Mira que gente esa!

joao madail veiga disse...

Um dia ainda hei-de contar uma das minhas odisseias em Baiona a pedir um Gin, ou, em galego, um chin...

Saltapocinhas disse...

são todos duros de ouvido, é uma coisa impressionante!
se dissesses duzientos e dioze já te entendiam!

Didas disse...

João, conta pá! Que a gente gosta!

Saltapocinhas Se dissesse duzientos e doze acho que não ia lá na mesma. Tem que ser tal e qual com aquelas abéculas!