6/11/2011

Carta aberta a sua Excelência o Sr. Presidente da República, Sr Aníbal


Exmº Sr. Aníbal:

Pude constatar que, passado mais um dia dez de Junho, continuo sem ser condecorada. Ora tendo em conta que, como se pode constatar, desde modistas a professores, de atletas a cozinheiros, de alpinistas a contadores de piadas secas, de actores a cantores pimba e outros, de locutores de rádio com bigode a políticos trapalhões, pantomineiros e trauliteiros, já todos levaram uma ordem qualquer dessas que V. Exª distribui todos os anos, venho por este meio indagar por que motivo eu, padeira incansável e autora dos melhores brioches do meu bairro, ainda não fui chamada a receber nenhuma medalha.
Caso V. Exª já tenha mandado cá alguém para me condecorar e eu não estivesse em casa queira por favor considerar sem efeito esta missiva. Para os devidos efeitos envio, então, em anexo, a minha morada e as horas em que costumo cá estar. Também pode mandá-la por correio registado, em envelope almofadado, que eu vou lá buscá-la. Dou-me muito bem com a D. Zulmira da estação dos CTT e sempre aproveitamos para conversar um bocadinho. Não faço nenhuma questão de ir à cerimónia (que até pode ser muito fora de mão como foi este ano) e aparecer na televisão a ser espetada por V. Exª com dois beijinhos no fim. De qualquer modo, se tiver mesmo que ser, mandarei a minha empregada Rosarinho com uma procuração, que ela é suficientemente galdéria para isso e mais.
Quanto à ordem que me será atribuída, não sou esquisita. Tanto pode ser a da Cruz de Pau como a do Diogo Infante ou outra qualquer. Se V. Exª entender até pode ser por ordem da GNR ou dos fiscais da Câmara. Desde que dê direito às mesmas benesses que as dos outros é-me igual. Nem precisa de me dar uma fita muito grande como aquelas que se metem nas misses quando ganham porque eu nem quando acabei a licenciatura quis fitas e no entanto ainda foi no tempo em que se andava lá cinco anos.

Cumprimentos à D. Maria e aos netinhos
A Padeira

5 comentários:

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Não recebes a comenda porque fazes brioches. Experimenta deixar cair o i e vais ver as encomendas. Mas só de gente rica porque às obras de joelharia o pobre não chega. E quando chega é para andar de joelhos em Fátima.

mfc disse...

Olha... já somos dois!!!

Didas disse...

Ai Constantino, não percebi nada! Deve ser por isso que não levo medalhas!

mfc, como pode ser???

Luís Maia disse...

já agora aproveito para informar que se o sr. Silva é o que se sabe existe a forte possibilidade do futuro vir a ser um tal Sócrates renovado, o Gama lesma, o marcelo das notas ou o pinguinhas do vitorino, venho declarar que começo a admitir a possibilidade de me juntar a causa.

A luz do pacto de Dover, nada impede que um miguelista ocupe o trono, sendo assim vamos exigir à republica que faça o referendo que teve sempre medo de fazer e depois disso repor D.Duarte II ou D.Afonso VII no trono

Didas disse...

Pode ser qualquer um. A beleza da república é sabermos que qualquer um lá pode chegar! Bem-vindo à causa!