2/27/2006

SOCORRO! SOU UM GAJO!

Olá queridos clientes, hoje venho partilhar convosco uma questão que me está a atormentar. Bem, atormentar atormentar é naquela base, digamos que numa escala de zero a dez me está a atormentar 4. Pronto.
Porque a verdade é que (eu nunca vos tinha contado isto, é tipo segredo de Fátima mas mais interessante), já houve pelo menos três clientes três que mandaram mails a mim ou à patroa a jurar que cortavam tudo rentinho em como eu sou um homem.
Às primeiras fiquei um bocado sentida, confesso. Depois comecei a achar que todos os homens são é parvos e esqueci o assunto.
Só que há bocado, visto que estava em dia de folga e tal, liguei a televisão e pus-me a ver um filme. Pronto, o filme não vi todo porque a seguir aos 47 minutos de publicidade já me tinha esquecido da primeira parte e desisti. Mas os anúncios vi. E cheguei a algumas conclusões que vou aqui revelar em primeira mão:

1. As mulheres adoram máquinas de lavar roupa e detergentes, especialmente detergentes que deixem a roupa toda branca. Não aquelas nuances de branco que vêm nos catálogos da Robbialac mas só e apenas o branco branco.
2. As mulheres vivem obcecadas com a ideia de encontrarem o detergente da sua vida. Aquele com quem vão viver o resto dos seus dias. Por outro lado têm pesadelos constantes sobre um detergente que lhes encolheu uma peça de roupa, lhes alterou uma qualquer cor duma qualquer blusinha ao fim de vinte lavagens ou lhes encheu a máquina de calcário assim tipo filme de terror série B, daqueles em que elas chegam à marquise, olham para a cena, agarram na cara com as mãos e dão um gritinho.
3. As mulheres sofrem horrores por não conseguirem que os seus copos fiquem a brilhar e têm longas e frutíferas discussões umas com as outras a esse respeito.
4. As mulheres estudam e tiram cursos de economia e gestão para depois concluírem que a verdadeira solução para a crise está no uso de Fairy.
5. As mulheres passam a vida sentadas no chão ou debruçadas sobre as retretes, de escova na mão, prontas a atacar sem dó nem piedade qualquer vestígio de sujidade que eventualmente se tente instalar à revelia. Nas casas em que vive mais do que uma mulher costumam fazer planos de turnos para que a retrete possa ser vigiada dia e noite e nunca as apanhe distraídas.
6. As mulheres acham porreiro ter mais de 40 anos desde que não se note “aqui”. O “aqui” para onde a senhora do anúncio aponta é o cérebro. Deve ser por isso que elas fazem todas estas coisas mencionadas nos pontos anteriores. Só assim podem fazer 40 anos, ou até 50, 60, 120 sem que os seus cérebros revelem qualquer sinal de vida.

Ora meus queridos clientes, eu estive a pensar muito e cheguei à conclusão que, como não me encaixo em nenhum dos pontos anteriores, dou a mão à palmatória. Eu sou, definitivamente, um gajo.

E vocês queridas, ainda têm a certeza do que são?

Até para a semana e fiquem com uma beijoca do… quer dizer… da

Vossa
Rosarinho

4 comentários:

polittikus disse...

Como urino de pé em principio sou gajo. hahahahaha

kuka disse...

E o Japinho!Que diz a isso?será que já se apercebeu?Quando é que te vais operar?Bem sei que são muitas perguntas,mas...

Menina_marota disse...

... bem, chamei a Ana e li-lhe este texto, ela riu-se com aquele dente, tipo coelho de fora e diz-me:
" ai a menina é uma brincalhona..."

... bem, eu para ela ainda sou a menina, apesar de ter passado os 40 e tal há uns tempos!! eheheh

Jinhos ;)

AR disse...

Depois dessa teoria, eu só posso juntar-me e assumir de uma vez por todas que: "Sou gajo"!