8/03/2006

THE CHICKEN CONSPIRACY


Tenho andado a desenvolver uma teoria. Acho que existe um raio de teletransporte que é frequentemente lançado sobre vítimas indefesas sem que elas se apercebam, por um ou mais cientistas loucos e ávidos de poder.

Acho que acontece a toda a hora estar uma pessoa muito sossegadinha, por exemplo, nas ilhas Fiji a pescar à linha, numa aldeia do deserto australiano a descascar umas batatinhas para o jantar, algures no México a dormir a siesta à sombra dum cacto gigante ou dentro dum iglo no Alaska a beber um copo e a conversar com os amigos, na boa, e de repente, do nada, numa fracção de segundo, vê-se teletransportado para cá.

Senão, como explicar os gajos a fazer rotundas pela faixa de fora, a 20 à hora e com cara de parvos a olhar para todos os lados?
Como explicar o pessoal que fica parado nos semáforos com o sinal verde aberto, à procura da alavanca das mudanças para meter a primeira?
Como explicar a empregada da caixa do supermercado a dar voltas a um produto à procura dum código de barras que só lhe falta piscar e fazer barulho?
Como explicar o cliente à nossa frente a olhar para as compras de boca aberta sem se lembrar que aquilo é para ir metendo dentro dos sacos?
Como explicar adolescente que fica com o ar mais apatetado do mundo quando lhe tentamos explicar que é preciso meter a roupa dentro das gavetas, tirar os sapatos do meio do corredor e fazer a cama?
Como explicar o totó a quem estamos a tentar deixar um recado ao telefone só com três palavras e ele vai buscar um papel e uma caneta para o anotar, obrigando-nos a soletrar tudo?
Como explicar o idiota a quem rebentei a traseira do carro toda e que estava parado à entrada da rotunda do IP5, totalmente vazia, à espera que alguém se lembrasse de sair de casa em Viseu?

10 comentários:

joaninha disse...

Ui, que o dia não correu nada bem!

Didas disse...

Acredita...

madfun_ph disse...

«"Bimbo" - com muito gosto.»
tentei teletransportar-me para ai - Aveiro, minha terra de paixão -em busca de uma tal via denominada "Mumadona Dias"- para tentar perceber em que moldes amassou a traseira do "ESPERE UM POUCO, UM POUQUINHO MAIS"- e, sinceramente este ilhéu não alcançou tal desiderato.Culpa das novas tecnologias de transporte, ou efeito de uma mente que não se permite a "mediuns" feitiços??
Sim, querida padeira, porque o que lhe sucedeu "só pode ter mão (má) de um tal Alves.
Não está mesmo a ver que esse desejo de amassar (qualquer coisa e por deformação profissional-padeira)chapa numa artéria com o nome de Mumadona Dias é mesmo coisa de mamadus & Alves.Há dias , são dias.Foi o meio e o dia que "ele" escolheu para deitar "olhado-roxo"
Solução- participar ao seguro o embate e uma participação no sindicato do Mamadus contra esse seu Alves por uso indevido da via pública para actos não autorizados de magia.
Agora como explicar ao que ;
roda a 20km por fora numa retunda - Rodeia-se.
procura meter a primeira - acelere e mete 2ª porque em 1º já ele está.
A menina do super que roda-roda,mexe-mexe - que isso são danças e ritmos brasileiros moles e que ela tem de dançar Quick-step, rock ou foxtrot.
não mete as compras no saco - faça como eu, ajudo a colocar no saquinho plástico.Ficam agradecidos (ou não) mas talvez para a proxima acelerem (mas que não batam)
Mais grave - á criança que não arruma.Repare se o adulto já o fez e, se sim, de-lhe esse exemplo.
E egora vou tentar não demorar para escrever este "recado" no Blog.
Lamento o seu acidente.A questão rodoviária não se resolve com leis avulsas.Só se terá (algum) sucesso quando se mudar a mentalidade civíca de todos nós.O que acontece nas estradas portuguesas é acima de tudo falta de respeito para com os outros.
Obrigado por deixar usar o seu forno.
"Bimbo" , com muito gosto

Anónimo disse...

É claro que entendi o embaraço do espanhol perante a acusação que lhe faziam... não quis foi deixar passar oportunidade para falar nos pimentinhos e deixar que me crescesse um pouquinho de água na boca...tambám qualquer um sabe (pelo menos as mães de adolescentes) que a dança engravida! basta visionar os clips da MTV

Voltando ao seu embaraço, melhor, à sua perplexidade, pergunto: magoou-se? não? então que se lixe!
não culpe a pobre da borboleta por bater as asas no outro lado do mundo. não procure conforto no seu prof. Alves, que domina o oculto. Trata-se de uma física muito mais prosaica cuja lei diz que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço simultâneamente.
Vivemos num país mal frequentado mas, até por isso, podemos contrariar com o nosso exemplo a sua inevitabilidade.
Diverti-me muito com o seu post.
Valha-nos o humor...

São Rosas disse...

As voltas que tu dás para desabafares.
Já experimentaste ser mais directa? Um grito «FODA-SE!» de fazer as amígdalas ficarem penduradas no queixo não resolve mas dá um alívio doido.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Didas:

Vê se vais lá ao EG dar o teu precioso palpite :-)

Um abraço,

Didas disse...

Madfun, um comment maior que o post é obra! :) E olhe, bimbo não usamos aqui, só pão caseiro. Quanto ao forno, use quando quiser! Cumprimentos ao Alberto João :)

É isso anónimo! Se calhar foi uma borboleta, vou rever a minha teoria!

Oh São! Desculpa lá, mas o "Foda-se!" é na fase 1, ou seja, meio segundo depois de bater. Na fase em que eu estou já andamos às voltas para nos desculparmos da merda que fizemos.

Já lá vou Zé Alberto, já lá vou! deixe-me só chamar a Rosarinho para ficar a tomar conta do tasco!

SaltaPocinhas disse...

Xiiiii mulher! Mas quando vires alguém a fazer a rotunta toda por fora posso ser eu!
mas tens toda a razão...
Excelente post e bem escrito, como sempre!

madfun_ph disse...

Boa semana e bons "negócios" para a padaria.Já entendi que essa funciona á moda antiga - encerra ao fim de semana.
Quanto ao comentário alargado,pois,foi fermento a mais e eu também sou um mãos largas.Não trabalho com receita.
Não sei se esse cumprimneto para o presidente do Governo Regional, AJJardim, foi ironia ou uma vontade.Mas se for esta , eu transmito.Não duvide.
Tenho lido o Farinha Amparo, desde o início, para perceber a sua estrutura.Já só falta o ano de 2005.O que eu não teria comentado se tivesse tido a felicidade de contactar o "blog" mais cedo.O fermento estaria esgotado.
"Odivelas".Esta não deixo passar.Um dos "posts" refere uma certa canção cuja letra é pouco abonatória para "as meninas de Odivelas"
D. Dinis (1º rei de Portugal não analfabeto) apesar de casado com D.Isabel, de vez em quando "pulava a cerca" e ia "urinar" lá para os lados da hoje chamada Odivelas.
A mulher quando se zangava, porque até as santas saiem do sério, dizia ao marido -"I -de - velas"..Uma corruptela popular desde frase terá dado origem ao nome, actual, de Odivelas.

Anónimo disse...

Caro Madfun, de facto esta padaria ainda faz parte do conceito de comércio tradiciona. Ao fim-de-semana as padeiras estão de cama até tarde e depois vão apanhar ar.
Quanto ao Alberto João, simpatizamos com ele, mas tal como o resto do pessoal do contenente, preferíamos vê-lo à deriva numa jangada furada, e não na nossa direcção.
Obrigada pela pachorra que demonstra para com este estabelecimento, nem nós temos paciência para ir aos arquivos.Com certeza mais pela perplexidade que nos causaria o que nós próprias amassámos do que por outros motivos.
Do D. Dinis, esse maluco, já estávamos mais ou menos ao corrente. Com excepção da sua ligação a essa extraordinária terra de puras donzelas.
Um beijo das padeiras