4/02/2007

PELA EMANCIPAÇÃO DO HOMEM


Hoje, um colega meu (o único do seu género naquele espaço) foi indecentemente e violentamente assediado por uma utente. Uma senhora(?!) aparentando 65/70 anos e exprimindo-se num estridente som stereo, à frente de todos os presentes incluindo os outros utentes do serviço, lançou pérolas que foram desde o "Ai querido, tu numa noite partias-me toda", "Nem era preciso uma noite, antes da meia-noite já eu não me mexia", até qualquer coisa como "Mas tu deves ser meiguinho, és não és amor?"

O inesperado da situação, mais do que o cómico, porque na verdade a velha não teve piada nenhuma, fez com que todos os presentes rissem. Incluindo eu, confesso.

O meu colega, visivelmente incomodado, fez o melhor que pôde para ignorar a situação e mudar de assunto. Quando tudo terminou, desabafou connosco que para a próxima quando a doida aparecer, ele vai lá para dentro.

Se tivesse acontecido uma situação inversa, ou seja, se uma de nós tivesse sido "assaltada" da mesma forma por um sexagenário maluco que ali aparecesse, teria ganho automaticamente o direito de o mandar à merda, de chamar a polícia e/ou de ser defendida pelos/as colegas. Um homem, pelo contrário, dificilmente ganha o estatuto de vítima no toca a sexo. O predador jamais adquire o estatuto de caça e, consequentemente, o direito de se defender como tal.

Mas depois de tantas revoluções e evoluções, não deveria já ser diferente?

4 comentários:

Anónimo disse...

Ora aqui está uma bela luta:
Pela emancipação do homem!
Infelizmente só será possível quando as mulheres deixarem de mudar de opinião a meio da vida. Eu explico:
Na primeira metade (sobretudo quando andam nos namoricos) queixam-se da mãe do namorado que fez dele um atado, incapaz de se organizar sózinho (o que vale é que ela está por perto!); Na segunda fazem questão de fazer do seu filho um ovo mole!
O seu colega que contra-ataque! Na próxima responda ao assédio: è só um minuto, para ir procurar o lubrificante e vamos já ali, à pensão do lado!
cm

Didas disse...

Ok cm, não sei se será assim tão fácil. Tolinha como a velha estava era capaz de dizer logo que sim. Eles têm direito a não lhes apetecer, não têm?

SaltaPocinhas disse...

assunto complicado este!!
eu sei que há muitos homens assediados e não é pouco, mas é muito difícil provar!
É como algumas "violações"...

Didas disse...

ESta está mais que provada. Toda a gente viu. :)))