6/29/2011

O staff da padaria aconselha todos os clientes que tenham histórias parecidas com esta a não as divulgar nos tempos que correm

E diz-me ele assim do nada:
- Habituei-me a tomar café quando estive no hospital...
Depois viu o ponto de interrogação em cima da minha cara e explicou melhor:
- Estive no hospital 32 anos!
- 32 anos???!!!
- Sim. Trabalhei lá.
- Ah... Pois. O ritmo do trabalho às vezes exige cafeína e a gente vicia-se. Não é?
- Não! É que sabe, quando a gente trabalha num hospital, já se sabe... aparece este e aquele e pede para a gente desenrascar isto e aquilo. A gente desenrasca e depois, ai e tal, anda lá tomar um cafezinho! Tinha dias que chegava a tomar vinte! Fiquei hiper-tenso... agora já não posso. Mas também já estou reformado.

7 comentários:

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Coitado, tantos favores por um cafezinho. Esse fulano com quem conversaste, nunca ouviu falar de melancia nem de caixas de robalos.

Anónimo disse...

De melancia, caixas de robalos, e não só, milhões e muitos milhões
que são a VERGONHA NACIONAL!....

Zé de Aveiro

joao madail veiga disse...

Eu, no hospital não.
Aliás só vou a veterinários.
Desde que fui tratado pela drª Virginia da Clinica da Sé, nunca mais quiz outra coisa.
São mais fiáveis os veterinários que os médicos.

mfc disse...

Fizeste-me rir... és um ponto!

pé-de-cereja disse...

Coitadinho.
Descafeínado, talvez...
A história é formidável!

Carlos Pires disse...

Eis o que é preciso para acabar com as listas de espera: oferecer bicas!

Didas disse...

Constantino, pelo menos os robalos não lhe subiriam a tensão, a não ser que estivessem carregadinhos de sal ou que viesse lá no meio, por engano, a chave dum Mercedes novo.

Calma Zé! Olhe a tensão!

João, a Drª Virgínia nunca experimentei. Mas já tive a
sensação de estar a ser tratada por sapateiros. Será a mesma coisa?

mfc, isso é bom!

Cereja, se calhar a máquina não dava descafeinados... e pronto.

Tão simples não é Carlos?