10/29/2008

ISTO É QUE É JEITINHO PARA O VIDEO


Hoje, estava a ver um pequeno filme sobre Aveiro, e perguntei para o ar:

-Que cidade tão gira! Onde é?

Depois olhei com mais atenção.

-Ah... pois... eu moro aqui...

10/28/2008

COISAS DE QUE TODA A GENTE FALA


Hoje de manhã quando fui tomar café, a empregada da pastelaria estava a discutir com o dono sobre o ácido hialurónico. Depois, quando cheguei ao emprego, a porteira falava exactamente do mesmo assunto com um utente que queria saber onde é que se paga a água atrasada. E assim foi até ao fim do dia. Toda a gente fala do ácido hialurónico. Toda!

10/27/2008

VOX POPULI



1. Há uns anos:

"As estradas em Portugal são uma vergonha. É só buracos e curvas. A gente passa ali para Espanha e é logo uma diferença medonha! Aquilo é só estradas boas, auto-estradas!"

Agora:

"Só sabem fazer estradas novas! Para que é que a gente precisa de estradas boas em todo o lado? Isto é só desperdiçar dinheiro!"




2. Há uns anos:

"Nos países civilizados é assim: um computador para cada aluno! Não há escola onde os alunos não tenham computadores! Aqui é uma miséria!"

Agora:

"Magalháes?! Para que é isso! Para o miúdos não aprenderem nada e passarem a vida a brincar! Para dar mais coisas aos ciganos, que já lhes dão pouco! Os professores ensinavam muito bem sem isso!"




3. Há uns anos:

"Neste país não se fiscaliza nada! Cada um faz o que quer! É uma vergonha! Nos restaurantes é uma porcaria, só bicharada, sujidade! Devia haver fiscalização a sério!"

Agora:

"A ASAE é a nova PIDE!"


Olá queridos clientes! Cá estou eu para vos ajudar a perceber alguns dos acontecimentos mais importantes da semana que passou, porque se forem a confiar nos jornais ou na televisão já se sabe que vão ficar pior do que antes. Para começar, devo avisar que hoje estou um bocadinho emocionada porque o Beira-Mar já não acaba o campeonato sem ganhar um jogo, graças a Deus. Pronto, ao menos isso. Azar para o pessoal de Vizela, que levou três secos, mas a vida é assim, calha a todos. Mas vamos então ao que interessa:

1. (Não) começou o julgamento dos policiais acusados de terem agredido Leonor Cipriano durante os interrogatórios. Não começou agora, mas começa mais tarde e, apesar do país inteiro concordar que só se perderam as que caíram no chão, palpita-me que estão bem lixados. A acusação apresenta umas fotografias da senhora com nódoas negras por todo o lado e a defesa alega que elas foram manipuladas digitalmente. Cá por mim, nem assim se safam, porque toda a gente sabe que quando se leva um retrato ao photoshop as gajas parecem todas acabadas de sair dum concurso de misses, e aquela continuou um coirão.

2. As reacções aos resultados das eleições dos Açores foram as do costume. A D. Manuela diz que os resultados do PS não podem ser extrapolados para o continente porque nesse caso fazia-se o mesmo aos resultados da Madeira. Claro que ela bem sabe que nada na Madeira pode ser extrapolado para lado nenhum, e se bem a topámos, deve ter cá um pó ao palhaço do Alberto que até se torce toda só de pensar nele. Mas fez o seu papel. Quanto ao Paulo Portas, ficou super-feliz com os resultados do seu partido e, segundo fontes nada fidedignas, terá afirmado que, a extrapolar os seus resultados para o continente, a partir das próximas eleições o CDS vai ter que fretar dois táxis em vez dum para levar os deputados todos ao parlamento.

3. As eleições nos Estados Unidos continuam a proporcionar bons e hilariantes momentos, apesar de nenhum dos candidatos ter alguma vez apalpado o cu a uma estagiária nem lhes ser conhecido nenhum episódio homossexual, sado-maso, de travestismo ou da prática de sexo oral ou anal. Essas hipóteses já foram certamente investigadas a fundo pela facção contrária em horas e horas de trabalho de detectives especializados. Mas esta semana alguém se lembrou que os antepassados da família McCain, no tempo em que os animais falavam, tinha escravos. Está claro que a escravatura, tal como muitas outras coisas, foi uma daquelas nódoas no passado da humanidade, mas parece-me a mim que ter escravos, naquele tempo, era o mesmo que agora ter uma televisão. Não estou a ver para que raio foram buscar este argumento. Mas isto é assim, a gente nunca percebe os argumentos dos políticos nas campanhas nem aqui, quanto mais lá!

4. Uma idosa da Marinha Grande foi burlada em 16.000 euros por dois bacanos que se fizeram passar por funcionários da segurança social e que apareceram lá em casa para a informar que as pensões iam aumentar e que as notas de euro iam ser trocadas por outras diferentes. Para mim continua a ser um mistério como é que se continua a conseguir enganar pessoas assim. Toda a gente sabe que a última coisa que podia acontecer neste país era os funcionários da segurança social irem à casa das pessoas explicar coisas! É que nem que ela fosse lá, pessoalmente, lhe explicavam o que quer que fosse! Dah!

E pronto queridos clientes, por hoje é tudo. Espero voltar a ver-vos daqui a uma semana, bem-dispostos, apesar de anoitecer mais cedo a partir daqui. É só até 21 de Dezembro.
Beijinhos da sempre vossa

Rosarinho

10/23/2008

O SÍNDROME MARIA ANTONIETA


Quando eu era criança, mas mesmo criança, naquele tempo de criança que é até onde as minhas recordações conseguem recuar mais, não havia cintos de segurança, nem cadeirinhas para os bebés, deixavam-nos viajar sentados no banco da frente e até, se massacrássemos muito, deitados na cobertura do porta-bagagens. Mas havia uma coisa que não nos deixavam fazer por ser perigoso: Baixar o vidro e espreitar cá para fora. Porque podia vir um carro em sentido contrário que se aproximasse o suficiente para... nos decapitar.

Durante alguns anos, apesar de nunca ter ouvido falar em qualquer caso real, vivi com o pesadelo de pôr o nariz fora da janela do carro para apanhar ar... e passar um do outro lado a menos de 5cm de distância, que me levasse a cabeça.

SOMOS UNS TRISTES OU OS OUTROS É QUE SÃO ALEGRES, O QUE VEM A DAR NO MESMO

Vi na TVE uma notícia sobre um puto qualquer que nasceu, acho eu, em casa, com a ajuda do pai, porque já não houve tempo de ir para o hospital. Digo acho eu porque o meu espanhol, mesmo sendo melhor que o meu japonês, não é grande coisa. Andei à procura do video no site deles para o chapar aqui, porque o que me surpreendeu não foi a notícia em si (está sempre a acontecer), nem os protagonistas (que até eram um bocado saloios e tinham aquela pinta de quem acabou de chegar duma festa de palmas, gritos e sapateado, como tem a maior parte dos espanhóis). O que me surpreendeu foi a alegria com que eles contaram a história, como se tivessem acertado nos números de euromilhões ou coisa parecida. O que eu fiquei a pensar foi, se fosse cá, a história tinha sido (escolher a hipótese correcta):

a) A ambulância demorou imenso a chegar e por isso a criança nasceu antes, arriscando-se a ficar traumatizadíssima para a vida e originando grandes angústias em toda a família;
b) O governo não presta porque fechou a maternidade que era a 500 metros e agora só há outra que é a 600 metros, e por isso a criança podia ficar traumatizada e causar grandes angústias a toda a família;
c) Somos uns desgraçados que chamamos uma ambulância e ela não chega a tempo de se parir uma criança e o serviço de saúde fechou e agora é preciso ir ao da freguesia vizinha e nós não queremos porque não, e a criança podia ficar traumatizada e causar Gandes angústias a toda a família.

10/22/2008

OH P'RA EU ARMADA EM ESPERTA

Voltei a receber o prémio Dardos, desta vez pela mão do Luís Maia.
Como já o tinha recebido, também já o tinha dado, por isso já está.
Mas não ia perder a oportunidade de me gabar outra vez pois não?

10/20/2008

COISAS QUE INTRIGAM


A Junta de Freguesia de Salreu tem este cartaz na rotunda principal da terra (aquela por onde a gente passa esteja ou não esteja interessada em lá ir) e eu, que já passei por ele umas vinte e sete vezes, ainda não o consegui compreender. Porque carga de água é que se põe uns matulões a afirmar: “Nós já nos recenseamos”? Que raio, no meu tempo, a gente só se recenseava uma vez, logo que fazia os dezoito anos e sem ser preciso ninguém mandar-nos nem pôr cartazes de incentivo na rua. Porque nessa altura, fazer o recenseamento eleitoral era tão importante para um puto como apanhar a primeira chiba, dar a primeira pinada ou fumar a primeira ganza. Enfim, temos que já lá vão…
Mas eu insisto no diabo da frase: “Nós já nos recenseamos”. Que lógica tem esta merda? Não faria mais sentido qualquer coisa como “Nós já fazemos a depilação”, “Nós já limpamos o rabinho sozinhos com Kandoo”, ou “Nós já saímos à noite e espatifamos sinais de trânsito”? Ou será que a intenção era escrever “Nós já nos recenseámos” e esqueceram-se do acento?

Olá queridíssimos clientes! Cá estou eu para vos explicar, tim-tim por tim-tim (nunca percebi muito bem esta de explicar os tintins mas pronto), os acontecimentos mais importantes da semana que passou.

1.Se o Cristiano Ronaldo não pudesse usar os pés, o que é que ele faria? Eu não sei. Mas sei que, mesmo podendo, vai lá vai! Esta semana, a selecção conseguiu, sob o comando do bonitinho Queirós, empatar com uns gajos a quem era suposto ganhar nem que estivessem todos com uma entorse e as unhas dos pés encravadas. Está mal, e algo me diz que o Madail o vai mandar pastar se tiver que dar mais entrevistas com aquela cara de cu com que deu a última. Quanto ao Carlitos, que tinha um emprego porreiríssimo e muita bem pago de guarda-chuteiras no Manchester, vai ter que procurar outro porque já não o devem aceitar lá de volta. Como tem aquela carinha laroca, sugerimos uma vaga de promotor de yogurtes nos super-mercados. A mulherada vai-se passar com o bifidus activus.

2.Os professores voltaram a ser notícia, desta vez por causa duns filmes que fizeram sobre o computador Magalhães numas acções de formação ou lá o que foi aquilo. Eu, que já vi alguns, tenho que ser franca, do ponto de vista técnico os filmes são uma merda, nem os da parva da patroa (que também tem a mania) costumam ser tão maus. Quanto ao conteúdo, igual. Um fiasco de todo o tamanho. Um dos gajos, que à custa disso já conseguiu ficar semi-famoso, disse que descobriu algo mais embaraçoso que o karaoke. Concordo.

3.Alberto Souto, ex-presidente da Câmara Municipal cá da parvónia, em entrevista ao JN, disse que não é candidato a coisa nenhuma nas próximas eleições autárquicas. Quanto ao resto do pessoal não sei, mas eu tive pena. Com esta ausência, Aveiro vai passar ao lado de grandes obras como uma rampa de lançamento para naves espaciais de grande porte no Rossio ou um recinto para a prática de desportos de Inverno em Requeixo.

E pronto queridos clientes, por hoje é tudo, aguentem-se o melhor que puderem com a semaninha que agora começa, que eu vou fazer o mesmo. Fiquem com a beijoca do costume da vossa

Rosarinho

10/18/2008

POIS É. ISTO AQUI NÃO É O CENTRO DO MUNDO.


Este guia que comprámos no Museu do Louvre tem a capa em espanhol e o conteúdo totalmente em português. De Portugal. Demos por ela já em casa. O mais engraçado ainda é que nem sequer havia versão portuguesa disponível, por isso comprámos a espanhola.

São estas coisas que nos fazem sentir fora do mainstream. Exóticos ou estranhos ou o que queiram. A analogia que consigo fazer para justificar um erro destes no museu do Louvre é qualquer coisa como isto: Estarmos a editar um livrinho em várias línguas e, no meio da confusão perdemos a ligação entre uma das capas e o respectivo texto.

- Eh pá! - diz alguém - tenho aqui uma capa a dizer que é em macedónio mas agora não sei qual destes textos é que é em macedónio!

- Põe este!

- Mas esse não sei se é em macedónio ou em sérvio!

- Estás preocupado? Que se lixe isso, achas que alguém vai dar pela diferença? São duas coisas que ninguém percebe mesmo!... Ninguém fala essas porcarias!

10/17/2008

AO QUE ISTO CHEGOU!

Hoje de manhã quando ia para o emprego parei nos semáforos do costume e, quando olhei para o lado, pensei que estava na Moita ou em Vila Franca de Xira. Fogo! Até fiquei baralhada! Ainda ontem tinha adormecido em Aveiro!

Então mas isto admite-se?

10/15/2008

TIREM-ME ESTA MÚSICA DA MINHA CABEÇA!!!

Isto funciona assim:
A gente entra no carro pela manhãzinha e dirige-se ao emprego, liga o rádio só porque sim e ouve uma música que chega mesmo a acompanhar, cantarolando distraidamente. Depois, não sei que raio de mecanismo acontece ali, e ele há dias em que a música fica todo o dia a repetir-se na nossa cabeça! O dia inteiro! Estamos numa reunião, assinamos papelada, escrevemos relatórios, almoçamos, lanchamos, picamos o ponto para sair, e aquilo sempre a tocar na nossa cabeça.
Já vos aconteceu?

10/13/2008

FÁTIMA REMIX

Só para assinalar o dia.

video

Olá queridos clientes! Cá estamos no início de mais uma semana para desfazer as vossas dúvidas sobre tudo o que de importante (ou não) aconteceu na que terminou. Vamos a isso:

1.A maior macacada da semana foi a votação no projecto de lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em toda a história do parlamento, nunca se tinha visto nada tão giro como um partido a dizer que concorda com uma coisa mas agora não! Foi uma estreia!
2.O prémio da semana para a maior lata vai para a empresa escolhida para fabricar o famoso Magalhães em versão anãzinha. Vai-se a ver e tem um processo por fraude fiscal. É que é assim, qualquer gajo que estivesse nesta situação antes queria cagar um pé todo do que se candidatar a fabricar o computador mais mediático aqui da choldra no momento e vir a ser o foco de todas as atenções! Era mais naquela de passar na discreta! Quanto ao estado ter escolhido aquela empresa sem dar por nada, isso já não espanta ninguém. Já se sabe que só são apanhados os gajos que puseram o valor duma consulta a mais na rubrica de saúde do IRS e os que se esqueceram de levar as fotocópias do projecto do T2 às finanças para pagar o IMI. Quem aldrabar à grande, está na boa!
3.A maior demonstração do espírito invejoso deste povo, vimo-la na exposição que foi dada às rendas de casa miseráveis que a Câmara Municipal de Lisboa cobra aos seus amigos artistas e outros, pelos vistos em locais que custam ao comum mortal uma pipa de massa. Não podem ver nada, são uns invejosos! Porque eu, pessoalmente, só tenho pena da minha Câmara Municipal não fazer o mesmo! Ia já aprender a fazer malabarismo com bolas ou a fazer o pino e bater palmas ao mesmo tempo e ia já mostrar as minhas habilidades ao senhor presidente para ele ver que já sou artista! É que era já! A ver se ele me arranjava um apartamento porreirinho por meia dúzia de euros ao mês, que até sou gaja para merecer! Mas não queria uma espelunca dessas de Santiago nem no Caião! Nem pensar! Para mim era Bairro da Gulbenkian, Alboi, ou Baixa de Santo António! Quando muito, vá lá, podia aceitar um nas Barrocas mas com vista para a ria! Alguém sabe se a Câmara tem casas nesses sítios?

E pronto queridos, por hoje é tudo e já chega. Fiquem com uma beijoca da vossa

Rosarinho

10/09/2008

ACONTECE AOS MELHORES


O capelão da bolsa de valores de Londres, Reverendo Peter Mullen, está sob pressão para renunciar, após sugerir que os gays fossem obrigados a usar uma tatuagem nas nádegas com a frase: “sodomia pode prejudicar seriamente sua saúde”. Assim tipo maços de tabaco, não sei se estão a ver o estilo. O reverendo afirmou depois que os comentários eram peças de humor e que deveriam ser encaradas como 'piadas'. Ele também afirmou que tem muitos amigos homossexuais e que "não tem nada contra eles".
Compreendemos perfeitamente. Também nós aqui no farinha, às vezes, mandamos umas piadas para o ar que não têm ponta por onde se lhes pegue nem ninguém acha graça. Paciência! Acontece a todos.
Mas neste caso, até achámos a ideia do reverendo porreira, embora fosse mais gira aplicada aos padres, mas na testa. Eles hoje em dia têm a mania de andar por aí à civil e o incauto cidadão sempre podia atravessar a rua para o outro lado quando visse alguém a aproximar-se com a frase: “Bitates de padre não matam, mas moem”.
O que nos deixou mesmo perplexos foi isto: Para que raio a bolsa de valores de Londres tem um capelão? Para que serve?

10/06/2008

E VOCÊ? É UMA SENHORA, UM HOMEM, UMA CRIANÇA OU UMAS EXTENSÕES?


Olá queridíssimos clientes! Cá estou eu outra vez ao fim de três semanas no bem bom. Estou com uma vontade de vos aturar que nem vos passa. Mas o que tem que ser, tem que ser! Ainda por cima logo a seguir a um feriado ao domingo e ainda por cima o da república! Enfim, quando é galo é galo. Mas vamos então aos acontecimentos da semana:

1. Apesar de quase ninguém ter dado por ela, o nosso presidente revelou-se um poeta com uma singela mas fantástica composição sobre a ordenha mecânica. Mas nós, sempre em cima do acontecimento, apanhámos o momento em vídeo e está aqui em baixo, no post de ontem. Não percam.
2. Parece que também houve um estrilho qualquer por causa do voto por correspondência dos emigrantes, a que eu por acaso nem dei grande (nem pequena) importância porque tanto se me dá que eles votem por correspondência, como venham cá, como telefonem como fazem para votar no festival da canção. O mais que pode acontecer é calhar-lhes um carteiro como eu tenho aqui na rua, que tanto mete as cartas do 23 no 25 como as do r/c no 5.º esquerdo. De resto é-me igual.
3. Carlos Queirós anunciou os convocados para o próximo jogo da selecção. Eu, francamente, se fosse a ele, não me dava ao trabalho. Colava uma cartolina à porta com os nomes e quem quisesse jogar que fosse lá pôr uma cruz. Se é para perder é para perder. Só gostei de saber que há um jogador chamado Tonel, que na verdade é um pipo grande e não um diminutivo de António Manuel. Em gíria popular, também se costuma chamar Tonel a um bacano que apanha a chiba todos os dias. Esse pessoal da bola é um achado.
4. Também deu estrilho a história do casamento homossexual, mas não muito. Como é habitual, nem porrada há nesta porcaria de política. O PS impôs disciplina de voto e o único a mandar os pés à parede foi o do costume. Mas esse, como é poeta, ninguém o leva a sério. É como o Presidente e as vacas.

E pronto queridos clientes, por hoje chega que ainda agora regressei ao serviço e estou traumatizada. Para a semana há mais.
Beijinhos da vossa

Rosarinho

Ah! É verdade! Já me estava a esquecer de escrever aqui a frase "Fotos pornográficas de Carolina Salgado". Não é para nada, só para animar o contador.

10/05/2008

10/04/2008

RECEITA RÁPIDA E EFICAZ


Receita para quem quiser ver o programa da manhã na RTP1 sem achar aquilo a pior merda do mundo que se consegue produzir para consumo do povo:

Ver um bocadinho do programa da manhã da SIC ou da TVI.

10/03/2008

PARA LÁ DAS FRONTEIRAS

Assisti a esta cena no Porto, numa esplanada duma tasca na zona de Campanhã. Era um casal jovem com um filho de uns cinco anos, que brincava por ali. Quando ela se levantou para irem embora, o homem aproximou-se por trás e pôs-lhe as mãos na cintura, num gesto perfeitamente normal. Ela, dirigindo-se à criança, como que a pedir protecção em tom de brincadeira, disse, textualmente:
-Ai que ele bai-me foder!
O miúdo riu-se ligeiramente, e lá foram os três embora.
E agora digam lá que o Porto não é uma naçon!

10/02/2008

E AGORA, PARA MAIS UMA SESSÃO DO MAIOR ESPECTÁCULO DO MUNDO!


Para entendermos bem ao que chega a lata dum político, observemos com atenção os argumentos do PS para impor disciplina de voto na proposta de lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. São hilariantes as voltas que eles dão para não admitir que, na verdade, estão com medo de perder os milhares de votos da santa beatagem que se divide entre eles e o PSD em sistema de rotatividade. Também gostei do número de circo final em que o artista mostra que é mesmo bom, que foi quando vieram dizer que são tão porreiros, tão porreiros, que até vão deixar o puto ex-JS votar a favor para não ter que cobrir a cara de merda. Mas, quanto a mim, tem na mesma. Se ele fosse um gajo como deve ser mandava-os já todos pastar e bazava do partido. Só que depois tinha que se fazer à vida e, quem sabe, trabalhar. É chato.
Já os partidos que claramente são contra o casamento homossexual com base no argumento da procriação, deviam ser coerentes duma vez por todas e propor a proibição do casamento a pessoas de sexos diferente que já tivessem ultrapassado a idade fértil ou que não apresentassem uma prova médica de fertilidade. Assim é que era!