8/30/2008

OUVIDA NA PEIXARIA DO CONTINENTE AVEIRO NUM DIA MOVIMENTADO


- Ponha-me seis carapaus se faz favor. Mas não quero com a cabeça vermelha!

- Oh minha senhora! O que mais há para aí é coisas de cabeça vermelha e não falta quem as queira!

8/29/2008

VÁ, CONFESSEM. QUAL DE VOCÊS É QUE CÁ CHEGOU À PROCURA DISTO?

como as galos fazem sexo
com que começou o folcrore
marcos da história moderna.
empresas de farinhas de badajos
abertura de ikea na ilha da madeira
técnicas de como fazer sexo oral
filme enrabando a patroa
as melhores posicoes do camasutra
sexo oral nos homens como fazer e técnicas
sexo oral como fazer na perfeição
tecnicas de fazer sexço
farinha para pão lidl
ginastica pornografica
o computador e o mundo do trabalho
como a informática mudou o mundo do trabalho.
baixar "art sullivan".
AMPARO FERIADO 11 AGOSTO
rapidinhas adivinhas.
Por motivos alheios a nossa vontade.
massagem descompressão 5 outubro.
farinha anita.
casa para fazer amor em portogal
quebra mas não verga
charro menstruado.
motel eclipse+angeja
entrevista de lili caneças à revista unica
tecnicas para fazer um bom sexo oral
bo concept part-time

8/27/2008

SABEM COMO É QUE EU SEI QUE ANDA TUDO DOIDO?

Estes putos, que dão pelo nome de Jonas Brothers, por exemplo, são um fenómeno de popularidade entre a canalhada americana, mas também já na europa e em todo o sítio onde haja gente a acordar com a língua quente e os pés a mexer.
São filhos dum pastor evangélico (seja lá o que isso for), andam penteadinhos, usam sapatos de verniz, não bebem, não fumam, rezam frequentemente para agradecer a Deus o sucesso e querem manter-se virgens até ao casamento. Se eu tivesse filhos assim já lhes tinha dado uns estalos para eles não se armarem em parvos e nem dizia a ninguém que eram meus filhos para não passar vergonhas. Se os putos vão deixar de ter a idade parva, se vão deixar de querer mudar o mundo aos quinze anos e se vão deixar de fazer merda a cada cinco minutos das suas vidas até um dia crescerem e se tornarem adultos com direito a levantar a garimpa e mandar uns bitates, o que é que se pode esperar da humanidade? Nada!
Estou preocupada.

8/26/2008

DE COMO A GENTE PENSA QUE JÁ VIU TUDO E AFINAL NÃO


Nunca me canso de me espantar com as partidas que a mente nos pode pregar. Mas já desisti de as perceber.
Conheci uma mulher vítima de violência doméstica, coisa que, como todos estamos ao corrente, a sociedade rotulou recentemente como crime hediondo. O meu cérebro, como o da maioria, concorda.
Só que ela, às questões de “Como é que aturas isso?” e “Então e não o deixas? Não apresentas queixa?”, responde, com a maior naturalidade, como se nos estivesse a dizer que gosta de bitoques com batatas fritas:
- Ah! Eu sei que é chato… andar assim esmurrada e tal… mas que hei-de eu fazer se só consigo fazer amor com ele com vontade depois de levar uma sova?
Quem ouve aquilo repugna-se. Reage mal e afasta-se num impulso como se estivesse na presença duma doença contagiosa terrível. Como se a criatura que assim fala aparecesse de repente coberta de pus esverdeado e nojento. Eu incluída. A vida não me proporcionou a faculdade de entender um fenómeno desta natureza, quase nem de acreditar nele. Ainda bem.

8/25/2008

LILI CANEÇAS, ESSE FENÓMENO INEXPLICÁVEL, EM ENTREVISTA À REVISTA ÚNICA DE 23-08-08

"Acham (os portugueses) que sou uma tonta e que tenho um mundo muito pequenino."


"Nunca me preocupei em ter uma boa imagem porque, como nasci bonita, sempre a tive."


"Se me diziam canta eu cantava, dança eu dançava, olha para a fotografia eu olhava e ainda fazia um passinho."


"A morte só me faz pena porque vou deixar de viver."


"Nunca ninguém percebeu o que eu queria dizer com isso (estar vivo é o contrário de estar morto), tem muito mais profundidade do que pode parecer à primeira vista (...) Se tivesse sido dita pela Simone de Beauvoir (...) já toda a gente acharia genial."

"A primeira viagem que fizemos (ela e o ex-marido Caneças) foi à Rússia em 1966, porque na altura era um bocadinho trotskista"

"Tinha um curso de decoração e lia imensas revistas"

"Eu aguento-me com uma saladinha e um champanhe"

"Eu, burra, inculta e retardada não sou."

"O povo pode não ser culto mas sabe que de mim não vem mal nenhum"

"As pessoas pensam que quem vive nas barracas não lê as Caras e as Holas mas lêem"

Olá queridos clientes, estão bons? Esta semana, o que deu mais estrilho foi, sem dúvida, mais uma vez, os jogos olímpicos. Mas também houve outras notícias igualmente importantes. Vamos ver:

1. Olímpicos 1: Andava tudo com medo de ser inconveniente e, para além do pessoal dos blogues que geralmente não tem nada a perder porque ninguém lhes paga, não havia ninguém que abrisse a boca sobre a barracada da participação portuguesa nos jogos. Teve que vir uma gaja do Perosinho chibar-se que aquilo foi uma desbunda e o ppl foi para lá passar férias à nossa conta. E ela que estava lá deve saber. Só a partir daí é que os outros perderam a vergonha, incluindo o governo que já disse que não há mais pão para malucos. Eu estou à espera para ver.
2. Olímpicos 2: Feitas as contas, ficámos a saber que a participação portuguesa nos jogos nos ficou por quinze milhões de euros. Dava para comprar a muralha aos chineses e ainda trazer umas adidas falsas para cada atleta. E uns Guccis.
3. Olímpicos 3: O presidente do Comité Olímpico, completamente perdido no meio da bronca e sem ter mão na canalha (a bem dizer ninguém lhes estava a exigir medalhas, bastava que não mandassem bocas infelizes), disse que se demitia. Uns dias mais tarde, depois da medalha do Nelson e já com o povo mais calmo, reconsiderou. Disse que teve imensos pedidos para continuar. Eu acredito. Alguns devem ter sido da família, habituada ao ordenado porreiro.
4. Olímpicos 4: Feito o balanço, o gajo que ficou mais famoso no meio disto tudo foi o campeão Marco Fortes, de quem antes disto ninguém sabia o nome e continuaria sem saber se ele não tem dito que preferia ter ficado a xonar na manhã das provas mas lá fez o favor de se levantar. Mas a isso já estamos habituados, pessoal famoso é aquele que não faz nem sabe fazer nada. Experimentem ler a Caras ou outras do género.
5. Olímpicos 5: Para não dizerem que eu só digo mal, traço já aqui um risco. Esta merda cheira mal mas não tem nada a ver com o putos da vela, nem com o da canoagem, nem com o Francis, nem com as chavalas da maratona, nem com outros que lá foram, esforçaram-se, tiveram azar, mas não nos andaram a envergonhar a cara. Isto bastam dois ou três para cagar tudo. Tenho dito.
6. Veto: O nosso querido PR vetou a nova lei do divórcio para proteger a parte mais fraca que, diz ele, é a mulher. Ainda bem que ele veio esclarecer isto porque há por aí pessoal muito burro que não percebe estas coisas. A minha vizinha de baixo, por exemplo, que leva porrada do bêbedo do marido e anda a tentar divorciar-se há q’anos mas não consegue porque o marido não quer (tinha que contratar uma empregada a dias e não ganha para isso), ficou a saber finalmente que assim é melhor para ela e está muito mais descansada. Já uma outra gaja que eu conheço, que não dá o divórcio ao marido por birra e o chantageia e chula indecentemente para o deixar ver os filhos de vez em quando (que por acaso até já têm a cabeça toda feita contra ele), também ficou muito mais aliviada da consciência porque ficou a saber que, em vez de ser a cabra filha da p*ta que toda a gente lhe chama, afinal é a parte fraca e precisa de ser protegida. É bom que venham assim estas pessoas que têm cursos e percebem das coisas explicar ao estúpido do povinho como é, porque caso contrário ninguém entende. Obrigada senhor Presidente!

E pronto queridos clientes, por hoje fico por aqui porque, apesar de terem acontecido mais coisas giras, isto nos blogues é como nas sopas instantâneas: não pode demorar muito. Fiquem bem e tomem lá uma beijoca. A sempre vossa

Rosarinho

8/21/2008

DA EDUCAÇÃO E DA FALTA DELA


Anda uma pessoa uma vida a tentar educar os putos, a ensinar-lhes a usar faca e garfo, a não sorver a sopa, a não pôr a faca na boca, não mexer na comida com as mãos nem lamber os dedos, e vêm os javardos da publicidade estragar-nos tudo.
Os da Oreo ensinam a lamber o creme e meter a bolacha no leite com dedos à mistura e tudo;
Os das batatas fritas, cereais e outras lambuzices do género, fazem gala do barulho que provoca a mastigação dos produtos e de como isso é bestial para chamar a atenção do pessoal no autocarro.
Etc
E depois, a canalhada acredita mais nos pais, que se esgalgam a trabalhar e não há meio de lhes oferecerem um jacto particular e uma piscina coberta, ou nos gajos da Nestlé e outras marcas, que com educação ou sem ela, vão acumulando lucros?

8/19/2008

HOJE FOI O DIA MUNDIAL DO PALHAÇO?


É que o guru dos palhaços teve hoje honras de preencher quase na totalidade as notícias da SIC Notícias, e eu não percebi porquê. Só pode ter sido o dia dos palhaços. Porque mais nada podia justificar porem-nos à frente um javardo cheio de pelos (ainda por cima brancos), mamas caídas e olhos pequeninos debruados a sobrancelhas desalinhadas a discursar em sotaque que carece de legendas sobre o desemprego que é culpa do Sócrates e de mais ninguém, o casamento homossexual que é exótico e a criação dum novo partido que é mesmo do que a gente precisa logo a seguir a levar porrada.

Até parece que não havia nada mais interessante! Parece que nem havia a meteorologia, nem o boletim agrário, nem as cotações da bolsa e o preço do barril de petróleo! Ou, sei lá, uma entrevista com o Queirós na véspera do emocionante jogo com as Ilhas Faroe...


Nota: Não costumo dizer isto. Roubo e pronto, que é o que me fazem a mim. Mas desta vez tenho que vos dizer. Fui roubar a imagem a este blog com um nome tão giro.

8/18/2008

UMA COISA É CERTA: HÁ PESSOAS MUITO COMPREENSIVAS



Olá queridos clientes! Ora então cá estou eu para vos ajudar a fazer a análise dos acontecimentos da semana que acabou.

1. Finalmente Portugal conseguiu uma medalha de ouro nos jogos olímpicos, o que já não era sem tempo. Marco Fortes, com a sua já famosa afirmação “a esta hora está-se bem é na caminha”, para justificar o resultado merdoso que teve, ultrapassou todos os atletas e sagrou-se campeão olímpico na modalidade de Lata do Caraças! Espero que, ao contrário do que é habitual, Portugal saiba reconhecer os seus valores e, mal ele chegue ao aeroporto, o mande para as obras treinar lançamento de peso com os tijolos e os baldes de cimento.
2. Ainda nos jogos olímpicos, tem-se visto uma excitação doida com o apuramento duma equipa portuguesa para a final B em remo. Acho bem, quando a esmola é pouca, tem que se aproveitar o que há. Só me parece estranho a RTP ter repetido, vezes sem conta, que esse vai ser o melhor resultado de sempre para o remo português em jogos olímpicos, porque desde pequenina que ouço dizer que uma equipa do Galitos ficou em quarto lugar em 1948. Só que se calhar, como aquilo era tudo malta humilde que trabalhava nas salinas, não conta. Deve ser isso.
3. Mudando de assunto, a impagável Manuela Ferreira Leite mandou pastar o pessoal que promove a fantochada lá no partido e disse, de vez, que com ela não há palhaços. Caiu muito mal porque até o seriíssimo Sr Aníbal andou no Pontal a fazer moshe quando foi preciso. A malta anda possessa com ela! Vamos ver quanto tempo é que esta se aguenta! Aceita-se apostas!
4. Apesar de todas as reuniões inúteis e acordos que ninguém cumpre, as tropas russas continuam na Ossétia. É foleiro, porque quando há assim regiões com a mania que querem ser daqui ou não querem ser dali, desatam sempre todos à porrada e quem se lixa sempre são os infelizes que só queriam mesmo que os deixassem em paz a tratar das galinhas e das couves. É mau. Felizmente, cá em Portugal só temos a Madeira a ameaçar de vez em quando que quer ser independente, e mesmo assim é só chantagem para lhe mandarmos mais uns trocos para as inaugurações de luxo e as campanhas do Alberto. Mauzinhos também são os grandes títulos das notícias a respeito do assunto, a querer fazer parecer que o conflito começa e acaba todo em agressões aos jornalistas e nos obrigam a ver vezes sem conta uma miúda que levou um tiro de raspão que lhe arranhou um bracinho e teve que pôr um band-aid. Haja pachorra.

E pronto queridos, por hoje não vos chateio com mais informação. Tenham boas férias se for o caso, mesmo com o tempo de merda que tem feito.
Fiquem com a beijoca do costume da vossa
Rosarinho

8/17/2008

JESUS! FEZ-SE LUZ!


Eu tinha alguma dificuldade em perceber o que leva as pessoas a acreditar na conversa de vendedor de enciclopédias a prestações dos gajos da IURD. Até hoje. Há bocadinho vi uma senhora, frequentadora da cena, a explicar que durante toda a sua vida sofreu muito porque era uma sereia. Que nem podia ir à praia porque corria o risco de aparecer uma sereia e puxá-la para o mar e que por isso, cresceu cheia de problemas e tiques nervosos. Agora acredita que há uns tipos a quem ela paga, que são verdadeiros intermediários de Jesus Cristo e intercedem por ela junto dele para resolver os seus problemas. Apesar de tudo, parece-me que melhorou.

Por isso, já percebo.

8/12/2008

PORQUE GOSTAVA DE TER, DIGAMOS, MEIA DÚZIA DE VOTOS E SER O CDS DOS BLOGUES

Andei até agora para me decidir a fazer isto. Digamos que, em algumas facetas do meu temperamento, mas só algumas, sou mais do tipo Manuela Ferreira Leite. Só que pensando bem, se até o nosso presidente que é homem sério (pelo menos nunca o vi soltar uma gargalhada que não parecesse um actor duma peça de paróquia), se sujeitou a fazer campanha eleitoral para chegar onde chegou e só lhe faltou andar de chapelinho de palha daqueles que são feitos de plástico, quem sou eu para me armar em esquisita?

Por tudo o que acima fica exposto, venho aqui hoje desfiar a clientela desta padaria a votar em mim e na parva da empregada. Para o efeito, só têm que clicar ali do lado direito no símbolo da Super-Bock, registar-se no site (que não custa nada e ainda podem vir a receber umas newsletters fantásticas), procurar na categoria Cultura Arte e Entretenimento (não fazemos por menos) e votar no Farinha Amparo.

Para o efeito, vesti-me a rigor e aqui estou eu, pronta para a campanha eleitoral.

Obrigada a quem tiver pachorra!


8/11/2008

EM AVEIRO, OS ATLETAS PARALÍMPICOS JÁ ESTÃO EM PREPARAÇÃO

E quando lá chegarem, vão ser capazes de contornar um poste pelo ar ao mesmo tempo que abrem um ferrolho e aterrar do lado de lá depois de terem conseguido abrir a porta em pleno voo, isto tudo em cadeira de rodas.


Se não conseguirem é porque são estúpidos. Condições para treinar não lhes faltaram, como por exemplo neste campo desportivo no Bairro das Barrocas, mesmo nas traseiras da Escola Profissional.

Olá queridíssimos clientes! Espero que estejam a aguentar bem a caloraça ou, no caso de morarem cá, a ventosga do costume. Vamos então ver os acontecimentos que marcaram a semana que passou e que desta vez, a contrariar o conceito de “silly season”, são bués! Vou tentar, por isso, ser concisa.

1. Os atletas portugueses passaram a ter direito a segurança social e ficaram radiantes. Foi a primeira vez que se viu alguém contente por ganhar o direito de ir ao médico da caixa.
2. Os fuzileiros já aceitam mulheres nas recrutas, com direito a levantar de madrugada, dormir numa camarata merdosa e fazer exercícios f*didos todo o dia. Eu, pela minha parte, comunico desde já que podem ficar com o meu lugar. Obrigada.
3. Um assalto espectacular a uma dependência do BES em Campolide, com reféns e tudo, animou os telejornais. Os homens, coitados, eram estrangeiros, e ninguém os informou que aqui em Portugal, nos assaltos aos bancos, os bandidos são comedidos, põem-se na fila, esperam pela sua vez e agem como se fossem pedir um empréstimo para um plasma. Mais ainda, ninguém os informou que aqui os bancos é que fazem os assaltos.
4. Um vídeo da Paris Hilton (ou melhor, onde ela aparece a mandar umas baboseiras que escreveram para ela) foi notícia. Até onde desceremos mais?
5. Em Lisboa, assistimos a um drama humano pungente. Um paquete de cruzeiro avariou e os passageiros tiveram que descer a terra para tomar o pequeno-almoço. Alguns, não conseguiram sequer comer waffles, prevendo-se que fiquem “augados” para o resto da vida. As imagens foram chocantes.
6. Em Idanha-a-Nova, numa operação conjunta, a GNR e a PJ fizeram uma rusga ao local do festival Boom à procura de drogas, porque toda a gente sabe que o Boom está para os ácidos e para o pó como a Agrovouga está para as vacas. Não encontraram nada porque o festival ainda não tinha começado. Mas isso foi só um pormenor.
7. A abertura dos jogos olímpicos de Pequim foi um êxito e, ao contrário do que se esperava, os guardas conseguiram pôr o S. Pedro na ordem e evitar as chuvadas que ele tinha prometido. Pode-se dizer, admito, que a cerimónia foi perfeita. Mas também para eles é fácil. Porque se fosse cá, nem que a população fosse toda convocada, não haveria tanta gente para figurar. Nem o primeiro número tinha saído.

E pronto, queridos clientes, por hoje é tudo. Fiquem bem e aguentem firme que esta semana tem um feriado, daqueles que emendam com o fim-de-semana! Quem é amiga?
Fiquem com uma grande beijoca da vossa
Rosarinho

8/08/2008

DE COMO PARA SER UM BOM PORTUGUÊS NEM É PRECISO SER PORTUGUÊS


O meu atleta preferido dos olímpicos é o Francis Obikwelu. Estou a torcer por ele. E mais, parece-me que todos os outros tinham umas coisinhas a aprender com ele. Todos os outros atletas e os portugueses em geral. Porque em vez de se queixar, tenta dar primeiro para merecer depois. Porque luta com uma força invulgar para dignificar uma bandeira que conheceu já homem e que nem sempre o acolheu como devia, numa demonstração rara de entrega a uma causa. Porque há dias, numa entrevista, ouvi-o dizer, simples e sem os tiques de quem está a botar um discurso grandioso, que tem que se esforçar muito pela medalha, porque o povo está a pagar. Pimba! Aprendam esses putos que ficam em último e depois vêm todos orgulhosos dizer que o que interessa é participar, perante as nossas atónitas caras de cu.
Não fomos nós que adoptámos Obikwelu. Foi ele que nos adoptou.
Se fôssemos todos assim, bem que esta choldra estaria diferente.

8/07/2008

O SANGUE


Sendo neta de ribatejano, mas nascida já dentro dos limites dos domínios do “Bê”, a Didas teve o primeiro contacto com a realidade das touradas aos cinco anos de idade, por ocasião da Feira da Golegã. Provavelmente, já as teria vislumbrado na televisão, naquele tempo pouco variada e muito apegada às tradições fabricadas para manter o povo na paz de Deus e na ordem decretada pelo estado, mas a preto e branco e a horas tardias, nada lhe tinha ficado na memória. Daquela vez, porém, era diferente, já que teve a oportunidade de assistir ao vivo, dentro duma arena a sério, a uma corrida. A primeira coisa que a Didas estranhou (embora não muito pois com a experiência adquirida em cinco anos de vida já sabia que a lógica dos adultos não obedece às regras básicas da inteligência), era que ninguém corresse, embora lhe tivessem dito que se tratava duma corrida. Mas o que a confundiu, isso sim, e muitíssimo, foi o sangue, pois nunca até àquele momento se tinha apercebido que qualquer coisa que incluísse o derramamento de sangue pudesse ser considerada diversão, o que prova que nessa idade, ela dispunha ainda duma informação muitíssimo incompleta sobre o mundo dos adultos. A única coisa que a Didas sabia era que quando caía do triciclo ou do muro ou de qualquer outro objecto de brincadeira e esmurrava os joelhos, isso resultava em sangue, e não era de todo uma coisa divertida. Por isso, já bastante confusa com as palmas e “olés” dos adultos, decidiu esclarecer as suas dúvidas, e perguntou à mãe, sentada mesmo ao seu lado:
-Aquilo é sangue???
-Não! – respondeu a mãe bem intencionada – É tinta vermelha!
Talvez essa resposta não tenha piorado a situação, mas também não contribuiu certamente para a melhorar. Porque embora a Didas fosse um pouco distraída, ter-se-ia apercebido da entrada dos pintores em cena. Por isso insistiu:
-Mas onde estão as latas???
-Quais latas?
-As de tinta!!!
E como ninguém foi capaz de lhe explicar sem deixar margem para dúvidas, o truque da tinta que aparecia no dorso dos touros sem ninguém a pôr lá, ou, em alternativa, que maldade imensa tinham feito aqueles animais para serem feridos deliberadamente e haver quem pagasse para assistir, a Didas decidiu nesse dia banir completamente e até ao fim dos seus dias a tourada da sua vida. Não voltaria a entrar num sítio daqueles, não veria na televisão, não se vestiria de sevilhana no carnaval, nem se casaria com um toureiro, nem que ele fosse muito, muito, muito bonito.
Ah, e ficou amuada.

8/05/2008

PORQUE É QUE O IRAQUE FOI INVADIDO E O MEU FILME FOI REMOVIDO DO YOUTUBE

Quando usamos alegremente sites como o YouTube (e usamos todos), nem nos lembramos que aquilo é gerido por americanos. No meu caso, lembrei-me hoje, quando recebi um email do YouTube Service, dando-me conta de que este meu filme (ver abaixo) tinha sido removido por conteúdo impróprio. Mais ainda, avisavam-me de que, se reincidir no prazo de seis meses, a minha conta será encerrada. Fiquei um bocado a olhar para aquilo a ver se percebia, mas não consegui. A Maja é um quadro pintado por Goya em 1800, portanto, há duzentos e tal anos, altura em que chegou a provocar comichões em algumas pessoas, mas mesmo assim não em todas.
Agora, em 2008, um americano bronco, no melhor estilo PIDE burro com a quarta mal tirada, olha para o meu video, vê uma gaja nua a abrir as pernas e, sem perceber bem (nem mal) o que é aquilo, mas imbuído da liberdade de censurar os outros que é apanágio do auto-denominado “free world”, corta-me o filme. Sem mais.
Isto acontece no país onde se esbanjaram recursos para descobrir se um presidente andava ou não a interagir com uma estagiária, onde uma mama de fora duma tal Jackson constituiu um escândalo nacional, onde uma professora foi presa por ter um filho dum aluno, onde o que se reprime é depois libertado em tiroteios monumentais em locais públicos, violências várias, e invasões de países estrangeiros. Um país construído pelos escroques que fugiram da Europa: bandidos, mentecaptos e fundamentalistas religiosos.
Não é que este incidente vá mudar alguma coisa na minha vida. Mudo para o Sapo e cago nisso. É só para dizer puta que os pariu, raio de gente que não é melhor do que os malucos que lá foram deitar-lhes as torres abaixo. Estão bem uns para os outros.
Oxalá não venhamos a ficar iguais a eles.

video

8/04/2008

E AINDA NA SAGA "VOLTINHA DOS TRISTES"

Enquanto não chegam as férias de verdade...


Lisboa, 2 de Agosto de 2008



Tomar, 3 de Agosto de 2008

Olá queridos clientes. Este fim-de-semana começaram as debandadas do povo para as férias. Por cá, há pessoal que chega a aventurar-se até à Praia da Barra, da Costa Nova e os mais afoitos vão a São Jacinto, uma verdadeira aventura sabendo-se que tirando uns bons hectares pertencentes ao exército e umas tascas onde se assa peixe, não há mais nada lá. É o equivalente a um safari em África mas mais barato. Mas vamos então ver o que aconteceu esta semana:

1. Um grupo de valentes escuteirinhos, sabendo que nesta altura não há praticamente notícias nenhumas, resolveu perder-se numa caminhada nas margens do Rio Teixeira para animar os noticiários. Foram descobertos umas horas depois, a 500 metros do sítio onde deviam estar. Parece que, tirando terem feito xixi nas calças e terem chamado pelas mamãs, não aconteceu nada de mal, graças a Deus e à Nossa Senhora, a quem foram agradecer logo a seguir em grande choradeira. Não sei se ela terá gostado muito.
2. Foi apresentado ao público o Magalhães, um computador pindérico destinado a ser distribuído às crianças do 1.º ciclo a um preço também pindérico. Já estou a ver os moradores da Quinta da Fonte, os tais que pagam 5 euros de renda de casa e têm LCD’s, plasmas e playstations, a ficar super-ultrajados quando lhes derem aquela porcaria (à borla, claro, por estarem abrangidos pelo Rendimento Social de Inserção). Mas há putos que vão ficar satisfeitos: são aqueles cujos pais têm que bulir de manhã à noite para pagar a hipoteca do T2 ao banco e ainda fazer contas para não terem que parar de almoçar e jantar lá em casa a meio do mês, embora esses tenham que pagar 50 euros. Nem tudo é mau.
3. O Presidente da República interrompeu as férias para fazer uma comunicação ao país. E fez. Não disse nada que interessasse a ninguém, como já o Zé-Povo desconfiava, e logo a seguir cada um foi à sua vida como é costume. Os media, esses, ainda tentaram sacar qualquer coisa, mas parece que não deu mesmo nadinha.
4. Os chinocas estão emocionadíssimos com a abertura dos jogos olímpicos e o resto do mundo também, mas por motivos diferentes. Eles, porque continuam a achar que estão a fazer uma coisa muito importante e que se correr muito bem ninguém vai continuar a falar da censura, nem das perseguições, nem das balas que eles mandam meter na cabeça de quem lhes apetece quando lhes apetece. O resto do mundo, porque está tudo a ver se enche o papinho com o espectáculo que vai ser cair uma tempestade em cima do desfile de abertura e f*der aquilo tudo. Também, no verão nunca acontece nada de jeito!...

E pronto, queridos, por hoje é tudo. Tenham uma semaninha fixe e fiquem com uma beijoca da vossa

Rosarinho

8/01/2008

EXPLIQUEM-ME, QUE EU NÃO PERCEBI NADA

(clicar para ver)


Tinha hoje no correio este folheto da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que agradeço muito (não, não quero que digam que eu sou ingrata), até porque me estão a prometer uma visita "simpática" que infelizmente vou ter que dispensar. Independentemente de o adjectivo "simpática" ser suspeito quando usado em causa própria.
Tenho apenas algumas questões a colocar ao conteúdo da mensagem:

1. Como é que alguém pode "ter o prazer" de explicar que esta m*rda está basicamente toda f*dida?
2. Como é que se pode apelidar a presente crise de furtiva? Será porque sentimos todos que estamos a ser furtados?
3. Não é injusto chamar aos gajos que ainda vão ao teatro "amantes de prazeres", quando na verdade, hoje em dia, a malta se está a borrifar para o teatro (tirando as costureirinhas que vão ao Rivoli ver o La Feria) e prefere ir ver o Rambo 19 ou beber umas bejecas ou ambas as coisas, e toda a gente acha que só vão ao teatro os "amantes da seca"?
4. E os que vão às touradas? São amantes de prazeres porquê? Não são simplesmente gajos da Moita, de Alcochete ou do Montijo?
5. Com os das corridas de cavalos ainda fiquei mais baralhada. Onde é que é corridas de cavalos?
6. Dado o contexto, a segunda vinda de Cristo é eminente ou iminente?
7. Se nos encontramos mesmo nos últimos dias, para quê apressarmo-nos? Vale a pena fazer seja o que for?

Ai, não percebi nadinha...